Administração do Hospital de Braga garante que Serviço de Obstetrícia é seguro

por Teresa Mendes | 16.10.2018

Em resposta à denuncia da OM sobre a falta de clínicos
A administração do Hospital de Braga garante, no que diz respeito ao funcionamento do seu Serviço de Ginecologia/Obstetrícia, que «estão asseguradas as condições de segurança clínica na prestação de cuidados de Saúde à população da região do Minho». 

Em comunicado, o hospital responde desta forma às declarações do bastonário da Ordem dos Médicos (OM) que, numa visita ao hospital, na passada quinta-feira, dia 11, afirmou que para continuar a «oferecer segurança e confiança» aos utentes é imprescindível o reforço do número de especialistas. 

Miguel Guimarães disse, na altura, que «um bom exemplo disso é o Serviço de Urgência do bloco de partos que apenas tem três médicos de serviço durante a noite quando no mínimo deveria ter quatro».

Na nota à Imprensa, a administração da unidade argumenta que «a falta de oferta de especialistas de Ginecologia/Obstetrícia disponíveis no mercado tem dificultado as contratações, uma limitação que espelha uma realidade nacional». 

A administração do Hospital de Braga garante, no que diz respeito ao funcionamento do seu Serviço de Ginecologia/Obstetrícia, que «estão asseguradas as condições de segurança clínica na prestação de cuidados de Saúde à população da região do Minho»

Segundo o comunicado, aquele Serviço conta atualmente com 32 médicos especialistas e vem, ao longo dos anos, mantendo uma contratação regular, salientando igualmente a informação que «nos últimos sete anos reforçou a equipa em 11 médicos» e que «desde o início deste ano a administração do Hospital de Braga autorizou a contratação de mais três médicos desta especialidade».

De acordo com a administração, «estas últimas contratações pretendem fazer face ao aumento de partos registados, conforme tendência nacional, no decorrer do ano anterior e deste ano e, ainda, para fazer face a outras áreas de atividade deste Serviço».

18tm42i
16 de Outubro de 2018
1842Pub3f18tm42i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.01.2019

Mortalidade infantil subiu 26% em 2018

A mortalidade infantil sofreu uma inversão de tendência e aumentou 26% em 2018, segundo dados provis...

por Teresa Mendes | 22.01.2019

Serviços de Urgência já estão a recusar doentes

Nas últimas semanas, alguns Serviços de Urgência (SU) tiveram que recusar doentes devido à sobrelota...

por Teresa Mendes | 22.01.2019

Alergia da expressão cutânea em debate

Vai decorrer, no próximo dia 23 de fevereiro, no Palácio da Lousã Boutique Hotel, a 6.ª Reunião Temá...

por Teresa Mendes | 22.01.2019

Internamentos por bronquiolites em crianças está a aumentar

A bronquiolite é responsável por dois em cada dez internamentos de crianças com menos de dois anos,...

21.01.2019

Resistência à vacinação entre as 10 maiores ameaças à saúde em 2019

A Organização Mundial da Saúde (OMS) elaborou um Top 10 dos assuntos mais preocupantes em 2019 e que...

por Teresa Mendes | 21.01.2019

 Candidaturas abertas ao Prémio Nacional de Diabetologia

Estão abertas as candidaturas, até ao próximo dia 1 de fevereiro, ao Prémio Nacional de Diabetologia...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.