Dieta rica em gordura aumenta resistência à ação da insulina

18.10.2018

Estudo desenvolvido pela FMUP e CINTESIS 
Um estudo desenvolvido por investigadoras da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FUMP) e do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde - CINTESIS concluiu que uma dieta rica em gordura aumenta a resistência à ação da insulina, aumentando, dessa forma, o risco associado a pacientes com diabetes tipo 2.

De acordo com as autoras do estudo, apresentado esta quarta-feira na 10.ª edição do Simpósio em Metabolismo, no Porto, «uma dieta rica em gordura pode conduzir a uma alteração da flora intestinal e à forma como esta se relaciona com o metabolismo».

Segundo Eva Lau, endocrinologista do Centro Hospitalar do Porto e investigadora da FMUP, e Cláudia Marques, do CINTESIS/NOVA Medical School, «várias doenças e mecanismos fisiológicos estão diretamente associados à perturbação do equilíbrio da microflora intestinal – também designada como microbiota».

As investigadoras analisaram a forma como uma dieta rica em gordura pode influenciar a microbiota e as consequências que podem surgir dessas alterações, com o objetivo de, no futuro, obterem novas abordagens terapêuticas, tendo concluído que «quando comparadas com dietas regulares, estas podem conduzir a um aumento de reações inflamatórias e, ainda, a uma resistência à ação de insulina, aumentando, assim, o risco associado a pacientes com diabetes tipo 2».

«Trata-se de uma interação complexa que, quando corretamente explorada, nos permitirá moldar a forma como os tratamentos são administrados, especialmente em casos de obesidade e distúrbios metabólicos», explicam as autoras, destacando o facto de vivermos numa era em que se registam «aumentos significativos nos níveis de obesidade e de distúrbios metabólicos».

Um estudo desenvolvido pela FMUP e pelo CINTESIS concluiu que uma dieta rica em gordura aumenta a resistência à ação da insulina, aumentando, dessa forma, o risco associado a pacientes com diabetes tipo 2 

A investigação foi coordenada pela investigadora Conceição Calhau (CINTESIS/NOVA Medical School).

18tm42P
18 de Outubro de 2018
1842Pub5f18tm42P

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

 SIM acusa Governo de não resolver a «situação crítica» no INML

No dia da abertura do ano judicial o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) deixou um apelou ao Go...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.