Acesso indevido a dados dos doentes: SMZS quer apurar responsabilidade da SPMS

por Teresa Mendes | 29.10.2018

Sindicato pede a demissão do CA do CHBM 
O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) pediu esta sexta-feira a demissão do conselho de administração (CA) do Centro Hospitalar Barreiro-Montijo (CHBM), por ter possibilitado «o acesso indevido a dados de utentes» por parte de profissionais não médicos.
O SMZS apelou igualmente para que sejam apuradas as alegadas responsabilidades imputadas à Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS).

Num comunicado, o sindicato alerta que «se a perda de confidencialidade de dados for alegadamente devido a um sistema que controla a informática dos programas de saúde a nível nacional, então o caso do CHBM não será único».

Para o SMZS, «esta administração, que gera desconfiança, alarme social e permite o acesso a dados clínicos confidenciais a profissionais não credenciados para tal, não tem condições para manter as suas funções», apelando ainda à ministra da Saúde para que atue rapidamente no sentido de resolver esta «situação intolerável».

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) pediu esta sexta-feira a demissão do conselho de administração do CHBM, por ter possibilitado «o acesso indevido a dados de utentes» por parte de profissionais não médicos. O SMZS apelou igualmente para que sejam apuradas as alegadas responsabilidades imputadas à SPMS 

Recorde-se que o problema da confidencialidade dos dados clínicos dos doentes tratados no CHBM foi levantado em abril por esta força sindical, que dizia ter conhecimento de que profissionais não médicos acediam à aplicação informática com «perfil» médico.
Nessa altura, a administração do hospital garantia que cumpria todas as regras de acesso ao sistema, alertando que cabe a cada profissional de saúde não fornecer os seus dados a terceiros.
No entanto, este mês, a Comissão Nacional de Proteção de Dados aplicou uma coima no valor de 400 mil euros ao hospital do Barreiro, o qual está a preparar uma contestação judicial.

O comunicado pode ser consultado na íntegra aqui

18tm44D
29 de Outubro de 2018
1844Pub2f18tm44D

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Infarmed aprova utilização de canábis para sete indicações terapêuticas

São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal au...

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Contratação simplificada: Técnicos de diagnóstico e terapêutica também fica...

Não são só os médicos que se sentem discriminados por não serem contemplados no processo de contrata...

21.03.2019

 Tutela estuda alargamento do cheque dentista a crianças menores de seis an...

O Ministério da Saúde está a estudar o alargamento dos cheques dentista a crianças menores de seis a...

20.03.2019

 APMGF teme que consultas por telemóvel aumentem as desigualdades

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) critica a nova ferramenta...

20.03.2019

OM quer reunião urgente com ministra após «nível de desprezo» inédito

A Ordem dos Médicos (OM) pediu esta terça-feira uma reunião com caráter de urgência à ministra da Sa...

19.03.2019

 Consultar o doente pelo telemóvel vai ser uma realidade

Até ao final de junho a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) vai começar a testar uma...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.