Médicos das USF apelam a Marta Temido para que exija soluções à SPMS

por Teresa Mendes | 08.11.2018

Continuam as falhas constantes nos sistemas de informação da saúde 
A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) junta-se ao coro de protestos contra as constantes falhas dos sistemas informáticos e apela à ministra da Saúde para que chame a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) à responsabilidade.

«Apelamos à Senhora ministra da Saúde que abandone esta passividade e que exija soluções aos responsáveis pelos sistemas de informação da saúde», lê-se no comunicado publicado esta quinta-feira no site da Associação.
 
Manifestando o seu descontentamento face «à falha informática nacional que se verifica no sistema informático SClínico, que desde o dia 6 de novembro se encontra persistentemente a falhar no seu módulo da prescrição de meios complementares de diagnóstico e terapêutica», os médicos das USF consideram «um contrassenso estar na era das novas tecnologias e não sermos capazes de seguir uma linha estratégica integrada e amigável do utilizador, que não perturbe o desempenho dos profissionais e promova a confiança e segurança da relação com os seus utentes».

A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) junta-se ao coro de protestos contra as constantes falhas dos sistemas informáticos e apela à ministra da Saúde para que chame a SPMS à responsabilidade

«Para além de desconcentrar e romper a confiança estabelecida na relação médico/enfermeiro-utente, consideramos igualmente um profundo desrespeito pelos próprios utentes que recorrem aos serviços de saúde do SNS!

Ainda por cima, sem hipótese de prescrever os exames em papel!», sublinha o comunicado, que alerta ainda para problemas recorrentes vividos nos centros de saúde, incluindo nas USF, devido às falhas dos SI, nomeadamente, «consultas paralisadas, tempos infinitos a tentar resolver os problemas que vão surgindo com as aplicações utilizadas e completa desarticulação de consultas».

Contudo, segundo a Associação, estas falhas não acontecem nas poucas USF com aplicações informáticas que não são da SPMS, que «têm demonstrado a sua capacidade plena em dar resposta às necessidades dos profissionais», lê-se na nota à Imprensa

18tm45M
08 de Novembro de 2018
1845Pub5f18tm45M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 EPE estavam em falência técnica no ano passado

Em 2018, metade dos hospitais EPE do país encontrava-se em falência técnica, segundo uma análise do...

06.12.2019

Chefes de cirurgia de Faro recusam fazer urgências a partir de 1 de janeiro

A partir de 1 de janeiro de 2020, os chefes de equipa de Cirurgia do Hospital de Faro vão deixar de...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 Sarampo matou mais de 140 mil pessoas no mundo em 2018

Em 2018, o sarampo foi responsável pela morte de mais de 140.000 pessoas, segundo novas estimativas...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros»

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros, nomeadamente tabaco aquecido. Apre...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

ADSE passa a ser tutelada pelo Ministério da Administração Pública

A ADSE já não é da tutela do Ministério da Saúde. Segundo o regime da organização e funcionamento do...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

 Reduzir o colesterol mais cedo pode diminuir risco cardiovascular mais tar...

Reduzir os níveis de colesterol com medicamentos em pessoas com menos de 45 anos pode reduzir o risc...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.