Saúde deve ser «prioridade nacional», alerta o Conselho Estratégico da CIP

por Teresa Mendes | 26.11.2018

CENS defende reforço de verbas para o SNS 
O Conselho Estratégico Nacional da Saúde (CENS), da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), renovou, esta sexta-feira, o apelo para que «se assuma a saúde como uma prioridade nacional», defendendo «um reforço de verbas e criação de um orçamento plurianual para o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Num comunicado, o CENS salienta que «é imperioso, não só reconhecer a situação e condições do sistema de saúde português, mas também promover medidas para a sustentabilidade e a obtenção de ganhos em saúde».

Citando o recente estudo, «Health at a Glance», da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), este Conselho Estratégico sublinha que «uma vez mais o estudo da OCDE confirma que Portugal continua a ter uma despesa em Saúde muito menor do que a média Europeia», ficando a despesa per capita «25% abaixo da despesa médica regista na Europa a 28», sendo essa discrepância ainda maior no caso da despesa pública em saúde.

O Conselho Estratégico Nacional da Saúde, da Confederação Empresarial de Portugal, renova o apelo para que «se assuma a saúde como uma prioridade nacional», defendendo «um reforço de verbas e criação de um orçamento plurianual para o Serviço Nacional de Saúde 

A nota à Imprensa chama também a atenção para o facto de esforço financeiro que as famílias fazem (out-of-pocket) para ter acesso à saúde se «muito maior do que acontece na média dos países europeus» quando, em contrapartida, «em Portugal a percentagem das pessoas em situação de boa saúde é muito inferior à da média da União Europeia (UE)».

«Estas evidências reforçam os argumentos em favor das propostas que o CENS da CIP tem feito, nomeadamente para que se assuma a Saúde como uma prioridade nacional, com caráter estratégico e como vetor de desenvolvimento do país», apela o CENS, acrescentando que «Portugal deve avançar para a criação de um orçamento plurianual para o SNS, com a definição de plafonds suficientes para a prestação dos cuidados de saúde adequados e também para a prevenção e o investimento».

18tm48D
26 de Novembro de 2018
1848Pub2f18tm48d

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Infarmed aprova utilização de canábis para sete indicações terapêuticas

São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal au...

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Contratação simplificada: Técnicos de diagnóstico e terapêutica também fica...

Não são só os médicos que se sentem discriminados por não serem contemplados no processo de contrata...

21.03.2019

 Médicos alertam para rutura na Neonatologia da Maternidade Bissaya Barreto

O Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) alertou esta quarta-feira para a rutura iminente no se...

21.03.2019

 Tutela estuda alargamento do cheque dentista a crianças menores de seis an...

O Ministério da Saúde está a estudar o alargamento dos cheques dentista a crianças menores de seis a...

20.03.2019

 APMGF teme que consultas por telemóvel aumentem as desigualdades

O presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) critica a nova ferramenta...

20.03.2019

OM quer reunião urgente com ministra após «nível de desprezo» inédito

A Ordem dos Médicos (OM) pediu esta terça-feira uma reunião com caráter de urgência à ministra da Sa...

19.03.2019

 Consultar o doente pelo telemóvel vai ser uma realidade

Até ao final de junho a Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) vai começar a testar uma...

por Teresa Mendes | 18.03.2019

 Autonomia na contratação sim, mas médicos ficam de fora 

Um despacho da ministra da Saúde e do secretário de Estado do Tesouro, publicado hoje no Diário da R...

18.03.2019

 Estado vai criar unidades de saúde para presos com doenças mentais

O Governo prepara-se para aprovar no Conselho de Ministros o regulamento do regime de internamento d...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.