Obras da ala pediátrica do São João arrancam ainda em 2019

por Teresa Mendes | 29.11.2018

Parlamento aprovou ajuste direto do projeto
O diretor clínico do Centro Hospitalar de São João, no Porto, congratulou-se pela aprovação da construção da ala pediátrica por ajuste direto, prevendo que as obras arranquem já em 2019 e estejam concluídas em 2021.
José Artur Paiva garantiu que a notícia abriu «muitos sorrisos nas caras» dos profissionais, crianças internadas e pais.

«A nossa expectativa é que, com base na dispensa do visto prévio do Tribunal de Contas e na possibilidade de simplificação do processo através da autorização do ajuste direto, ainda em 2019 arranquem as obras, o que quererá dizer que num tempo mínimo de construção de dois anos no final de 2021 teremos a ala pediátrica nas suas instalações definitivas», anunciou esta quarta-feira José Artur Paiva, numa declaração aos jornalistas.

Recorde-se que, na terça-feira, o Parlamento aprovou por unanimidade a proposta de alteração do PS ao Orçamento do Estado para 2019 que prevê a possibilidade de recurso ao ajuste direto para a construção do Centro Pediátrico do Centro Hospitalar Universitário de São João.
 
José Artur Paiva garantiu que a notícia da aprovação da construção da ala pediátrica por ajuste direto abriu «muitos sorrisos nas caras» dos profissionais, crianças internadas e pais

A proposta dos socialistas mereceu o voto favorável de todas as bancadas parlamentares.

O documento prevê então a possibilidade de recurso ao procedimento de ajuste direto «para efeitos da celebração dos contratos relativos à conceção, projeto e construção do Centro Pediátrico, considerando-se preenchidos os requisitos e condições exigidas para a adoção deste procedimento pré-contratual».

José Artur Paiva referiu que o ajuste direto da obra vai permitir que a empreitada comece após o verão do próximo ano, dado o hospital já ter entregue «a quase totalidade dos dados» à empresa encarregue do desenvolvimento do projeto.

Quanto à situação das crianças internadas, o diretor clínico assumiu que «neste momento» não é possível transferir a Pediatria do espaço exterior para o interior, mas durante o próximo ano vão pensar na «transferência de módulos» para o edifício central sem pôr em causa o seu funcionamento.  

18tm48O
29 de Novembro de 2018
1848Pub5f18tm48M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Centro Hospitalar do Oeste está «refém de prestadores de serviço»

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) é a terceira unidade de saúde do país com maior volume de horas c...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.