Governo promete um milhão de euros para melhorar os sistemas informáticos

por Teresa Mendes | 29.11.2018

Médicos lamentam que medida surja após diagnóstico feito há mais de 10 anos
 A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) recebeu «com agrado» a notícia de que o Governo vai investir no próximo ano cerca de um milhão de euros para melhorar as redes locais e hardware obsoletos das unidades de saúde dos CSP.
Contudo, mostra-se perplexa pelo facto de só agora ser tomada essa decisão, uma vez que o diagnóstico está feito há mais de 10 anos.

«Só agora foi orçamentado? Será que a equipa da Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS) se tem esquecido de programar este financiamento?», perguntam os médicos das USF num comunicado, publicado esta quarta-feira, considerando que «esta não será a única solução para melhorar esta área dos Sistemas de Informação (SI) da saúde».

Na opinião da Associação, existem outras medidas que «devem ser tomadas com urgência», nomeadamente «uma nova arquitetura dos SI dos CSP que garanta segurança real e suporte todo o processo clínico eletrónico totalmente sem papel e um Registo Nacional do Utente amigável e totalmente fiável» e ainda uma «centralidade dos SI no cidadão e não nas aplicações ou nas profissões em saúde», alegando que «continuamos na era das múltiplas aplicações informáticas».

A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar recebeu «com agrado» a notícia de que o Governo vai investir no próximo ano cerca de um milhão de euros para melhorar as redes locais e hardware obsoletos. Contudo, mostra-se perplexa pelo facto de só agora ser tomada essa decisão, uma vez que o diagnóstico está feito há mais de 10 anos

«Exige-se o desenvolvimento estrutural de um sistema informático com termos de referência validados por todos os intervenientes e devemos apostar num Processo Clínico Eletrónico, único e centrado no cidadão.
Acreditamos que este deve ser o caminho», defende a USF-AN na nota à Imprensa.  

18tm48M
29 de Novembro de 2018
1848Pub4f18tm48M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.05.2019

Apenas um quarto dos médicos consegue conciliar carreira com vida familiar

A grande maioria dos médicos que trabalha no Serviço Nacional de Saúde (73%) não consegue conciliar...

22.05.2019

 Infarmed conclui processos de financiamento para 22 novos fármacos

 A conclusão de processos de financiamento relativos a novos medicamentos (novas substâncias ativas...

22.05.2019

Fundadores do Observatório de Saúde António Arnaut  defendem transparência

O coordenador do Observatório de Saúde António Arnaut (OSAA) defendeu esta terça-feira, em Coimbra,...

por Teresa Mendes | 22.05.2019

 Encargos com as PPP da saúde aumentaram quase 30%

Os encargos líquidos com parcerias público-privadas (PPP) subiram 5% nos primeiros seis meses de 201...

por Teresa Mendes | 21.05.2019

Taxas de cesariana e de mortalidade materna e perinatal são os temas mais p...

Diogo Ayres de Campos, diretor do Serviço de Obstetrícia do Hospital de Santa Maria (Centro Hospital...

21.05.2019

Porto quer ser «Cidade Sem Sida» até 2020

 A Câmara Municipal do Porto e 22 instituições assinaram esta segunda-feira, dia 20 de maio, o proto...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.