Portugal gastou 9,1%do PIB em saúde, mais do que Espanha, mas muito menos que França

por Teresa Mendes | 30.11.2018

Eurostat publica estatísticas sobre gastos em saúde
Portugal gastou 9,1% do PIB na saúde, um número superior ao investido pela Espanha, mas muito abaixo do registado nas grandes economias europeias, revelam as estatísticas mais recentes sobre despesas com cuidados de saúde publicadas pelo Eurostat em toda a União Europeia (UE) em 2016.

Nenhum dos países da União Europeia (UE) atribuiu menos de 5% do PIB às despesas na saúde, apesar das variações entre países, com a França no topo da tabela dos países que mais gastam com a saúde, que alocou 11,5% da sua riqueza para a saúde. Já a Roménia foi o país que menos gastou (5% do PIB).

Em termos numéricos, os gastos nesta área correspondem em Portugal a 16,8 milhões de euros, enquanto que, por exemplo, os franceses gastaram 257 milhões de euros, revelam as estatísticas, publicadas esta quinta-feira.

Portugal gastou 9,1% do PIB na saúde, um número superior ao investido pela Espanha, mas muito abaixo do registado nas grandes economias europeias, revelam as estatísticas mais recentes sobre despesas com cuidados de saúde publicadas pelo Eurostat em toda a União Europeia (UE) em 2016

Quando se olha para os gastos per capita, o cenário é diferente, com o valor português não atingir os dois mil euros por habitante, valor inferior ao registado em Espanha, Itália, Reino Unido ou em França.
Em três Estados-membros (Luxemburgo, Suécia e Dinamarca), os gastos com a saúde por habitante foram mesmo superiores a cinco mil euros.

Os dados mostram ainda uma diferença de mais de cinco mil euros entre o valor mais baixo e o mais alto verificado em 2016.
No Luxemburgo, gastaram-se 5.600 euros por habitante, enquanto na Roménia os custos fixaram-se nos 400 euros por habitante.

O relatório está disponível, na íntegra, aqui 

18tm48Q
30 de Novembro de 2018
1848Pub6f18tm48Q

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 14.06.2019

Rui Ivo volta a ser presidente do Infarmed

Rui Ivo é nomeado, pela segunda vez, presidente da direção do Infarmed.<br /> A nomeação do Conselh...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 Médicos estão cada vez mais receosos quando têm que denunciar insuficiênci...

Os profissionais de saúde têm «cada vez mais receio» de denunciar situações de insuficiências ou mau...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 IPO Lisboa apela à dádiva de sangue

No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, que se celebra esta sexta-feira, dia 14 de junho, o Ser...

14.06.2019

Taxas moderadoras nos centros de saúde com fim à vista

A proposta do Bloco de Esquerda que dita o fim das taxas moderadoras nos centros de saúde vai ser vo...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Médicos com alojamento assegurado para reforço de cuidados de saúde no verã...

 A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve vai assegurar residência aos médicos que queiram...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Argumentos que pretendem proibir PPP na saúde «não são razoáveis»

Numa altura em que foi adiada a votação do artigo sobre as PPP da Lei de Bases da Saúde para o próxi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.