Ordem dos Enfermeiros abandona Convenção Nacional de Saúde

por Teresa Mendes | 11.12.2018

Comunicado defende que reflexão está feita e que «a hora é de agir»
A Ordem dos Enfermeiros (OE) decidiu abandonar a Convenção Nacional de Saúde (CNS) por considerar que o seu propósito já foi cumprido e que «a hora é de agir», uma vez que a reflexão sobre o sector «está feita». 

«Neste momento, consideramos a situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) demasiado grave, nomeadamente a greve cirúrgica dos enfermeiros, para continuarmos em iniciativas que denominamos de “Portugal sentado”», lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira pela OE.

Recorde-se que a CNS, constituída por dezenas de entidades, foi criada este ano e promoveu em junho uma conferência que pretendeu estabelecer uma agenda para o sector da saúde na próxima década.
As conclusões da Convenção vão ser entregues esta semana ao Presidente da República.

«Neste momento, consideramos a situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) demasiado grave, nomeadamente a greve cirúrgica dos enfermeiros, para continuarmos em iniciativas que denominamos de “Portugal sentado”», argumenta a OE 

Na nota à Imprensa, a OE defende que «não é altura de continuarmos preocupados em encontrar altos comissários que digam junto do senhor Presidente da República o que estamos todos fartos de repetir» e que «a iniciativa de indicar um alto comissário para a Convenção, quando já existe um chairman e um porta-voz, é continuar a partidarizar uma discussão que tem de ser livre e fora da caixa».

18tm50E
11 de Dezembro de 2018
1850Pub3f18tm50E

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Apifarma celebra 80 anos com a presença da ministra da Saúde

As associações Alzheimer Portugal, de Apoio aos Traumatizados Crânio-Encefálicos e Suas Famílias, de...

15.11.2019

Existem enormes disparidades na disponibilização dos fármacos inovadores

Há hospitais portugueses que chegam a demorar até quatro meses a disponibilizar medicamentos inovado...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Lítio pode reverter os danos da radiação após o tratamento de tumores cere...

É sabido que as crianças que receberam radioterapia para um tumor cerebral podem vir a desenvolver p...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

«Esperança» é a protagonista da nova campanha da Pulmonale

O cancro do pulmão é um dos tumores malignos que mais mata. Contudo, é também um dos que mais tem be...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

«A maior urgência do país não pode fechar», diz bastonário

Após uma visita esta quarta-feira ao hospital de Santa Maria, o bastonário da Ordem dos Médicos (OM)...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

Infarmed alarga leque de fármacos com limitações à exportação

O Infarmed atualizou esta quarta-feira a lista de medicamentos abrangidos pela notificação prévia de...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

 Portugal tem mais de 600 novos casos de diabetes por cada 100 mil habitant...

 Nos últimos três anos (2016 a 2018) continuou a verificar-se «um número muito elevado de novos caso...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

 DGS cria Task-Force para as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST)

A Direção-Geral da Saúde (DGS) constituiu uma Task-Force para as Infeções Sexualmente Transmissíveis...

por Teresa Mendes | 13.11.2019

Centro Hospitalar de Leiria dispõe de um novo Serviço de Reumatologia

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) dispõe de um novo Serviço de Reumatologia, que visa a prestação...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.