Ordem dos Enfermeiros abandona Convenção Nacional de Saúde

por Teresa Mendes | 11.12.2018

Comunicado defende que reflexão está feita e que «a hora é de agir»
A Ordem dos Enfermeiros (OE) decidiu abandonar a Convenção Nacional de Saúde (CNS) por considerar que o seu propósito já foi cumprido e que «a hora é de agir», uma vez que a reflexão sobre o sector «está feita». 

«Neste momento, consideramos a situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) demasiado grave, nomeadamente a greve cirúrgica dos enfermeiros, para continuarmos em iniciativas que denominamos de “Portugal sentado”», lê-se num comunicado divulgado esta segunda-feira pela OE.

Recorde-se que a CNS, constituída por dezenas de entidades, foi criada este ano e promoveu em junho uma conferência que pretendeu estabelecer uma agenda para o sector da saúde na próxima década.
As conclusões da Convenção vão ser entregues esta semana ao Presidente da República.

«Neste momento, consideramos a situação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) demasiado grave, nomeadamente a greve cirúrgica dos enfermeiros, para continuarmos em iniciativas que denominamos de “Portugal sentado”», argumenta a OE 

Na nota à Imprensa, a OE defende que «não é altura de continuarmos preocupados em encontrar altos comissários que digam junto do senhor Presidente da República o que estamos todos fartos de repetir» e que «a iniciativa de indicar um alto comissário para a Convenção, quando já existe um chairman e um porta-voz, é continuar a partidarizar uma discussão que tem de ser livre e fora da caixa».

18tm50E
11 de Dezembro de 2018
1850Pub3f18tm50E

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Afinal, é a lei que limita fármacos inovadores a não ser perante risco imed...

Afinal, é a própria lei que limita as autorizações excepcionais para ter acesso aos fármacos inovado...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

 Cancro de cabeça e pescoço mata três portugueses por dia

A Semana Europeia de Luta Contra o Cancro de Cabeça e Pescoço arrancou esta segunda-feira em Lisboa....

por Teresa Mendes | 17.09.2019

 Pelo menos 5 pessoas morrem a cada minuto devido a erros clínicos

No dia em que celebra o primeiro Dia Mundial para a Segurança do Doente (17 de setembro), a Organiza...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Só os neurónios mais viáveis sobrevivem no desenvolvimento do sistema nervo...

Ao contrário do pensado, não é o acaso que determina quais as células que irão formar o sistema nerv...

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 Profissionais estão a «deixar de acreditar nesta forma única de organizaçã...

Prestes a iniciar o quarto trimestre de 2019, altura em que deveria estar a ser realizada a transiçã...

16.09.2019

 «Queremos que o hospital saia de portas»

O Governo quer alargar a hospitalização domiciliária a todos os hospitais do Serviço Nacional de Saú...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.