Equipa dedicadas nos serviços de Urgência avançam em 2019

por Teresa Mendes | 11.12.2018

«Termos de Referência para contratualização de cuidados de saúde no SNS» 
O conceito de Centro de Responsabilidade Integrada (CRI) será estendido aos serviços de Urgência hospitalares.
Segundo os «Termos de Referência para contratualização de cuidados de saúde no SNS», em 2019 «estarão em execução experiências-piloto de implementação de CRI nos Serviços de Urgência, a decorrer em instituições que venham a ser identificados pelas ARS respetivas». 

O objetivo é «o aumento da autonomia de gestão, a maximização dos recursos, a otimização dos processos assistenciais e de decisão e o cumprimento integral dos tempos de resposta nos Serviços de Urgência», lê-se no documento base que estabelece o conjunto de orientações destinadas à contratualização nos cuidados de saúde primários, hospitalares e integrados, divulgado esta segunda-feira pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

O conceito de Centro de Responsabilidade Integrada (CRI) será estendido aos serviços de Urgência hospitalares. Em 2019 «estarão em execução experiências-piloto de implementação de CRI nos Serviços de Urgência, a decorrer em instituições que venham a ser identificados pelas ARS respetivas» 

Estas experiências-piloto «serão adaptadas às condições concretas de cada instituição e seguirão as recomendações emanadas pelo grupo de trabalho constituído em 2018, nesta área», informa a publicação

De qualquer forma, as orientações genéricas dadas pela ACSS é que «sejam dotadas de estrutura autónoma, de missão e objetivos claros, de recursos humanos próprios, recursos logísticos adequados, forte componente de cultura e ética organizacional e garantia da sustentabilidade».

Este modelo de CRI nas Urgências prevê ainda a «otimização dos fluxos e organização dos circuitos de acordo com a situação clínica dos doentes, ou com a necessidade expectável de consumo de cuidados, procurando reduzir situações de saturação de meios e contribuindo para a melhoria da acessibilidade e da qualidade da atividade assistencial», acrescentando que haverá lugar à «retribuição financeira às equipas e profissionais em função do desempenho».

O modelo com equipas dedicadas tem ainda como orientações genéricas, a articulação com os meios e estruturas de resposta em situações de emergência pré hospitalar; a garantia do cumprimento dos algoritmos e dos protocolos das vias verdes; a garantia de tempos de resposta adequados para doentes críticos e urgentes, em termos de observação médica, cuidados e decisão; e a interação e partilha com cuidados de saúde primários e com as respostas da RNCCI, do Setor Social e da Comunidade, na prevenção das situações de urgência e emergência, na resposta intra-hospitalar e na continuidade de cuidados.

18tm50G
11 de Dezembro de 2018
1850Pub3f18tm50G

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Executivo abre 1129 vagas para as áreas de MGF, hospitalar e de Saúde Públ...

O Governo cumpriu o prazo de 30 dias para a abertura de concursos após a fixação da lista de classif...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Semana Europeia do Teste da Primavera decorre até 24 de maio

Começa hoje e decorre até 24 de maio, a Semana Europeia do Teste Primavera 2019, organizada pela HIV...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Acordo entre FMUL e Fundação Champalimaud reforça laços existentes

O diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Fausto Pinto, e a presidente da Fundaç...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Daniel Ferro nomeado presidente do CHULN

O ex-presidente da administração do Hospital Garcia de Orta, Daniel Ferro, vai liderar o conselho de...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 É ilegal recusar tratar doentes que não autorizam o tratamento de dados pe...

A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) considerou ilegal a recusa de prestação de cuidados...

16.05.2019

Dados de listas de espera envergonham o país, diz Ordem dos Médicos

A Ordem dos Médicos (OM) classificou esta quarta-feira como «desastrosos» os dados revelados pela En...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 Convenção Nacional da Saúde 2019 decorre a 18 de junho

 A edição de 2019 da Convenção Nacional de Saúde (CNS) vai ter lugar no próximo dia 18 de junho, no...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.