“Grupo dos 44” quer voltar a ser ouvido sobre Lei de Bases da Saúde

13.12.2018

Nova proposta deverá ser hoje apreciada no Conselho de Ministros
Os 44 subscritores dos «Princípios Orientadores da Saúde para uma Lei de Bases da Saúde» querem ser novamente ouvidos sobre a nova proposta, receando que o documento que vai ser aprovado pelo Governo tenha alterações substanciais em relação à proposta anterior.

Num comunicado divulgado nesta terça-feira, é reforçado que o trabalho da comissão presidida pela ex-ministra da Saúde, Maria de Belém Roseira, resultou um anteprojeto alvo de «ampla consulta pública», com a participação do “Grupo dos 44”, que é compostos por personalidades como os ex-ministros Bagão Félix, Augusto Mateus e Guilherme d'Oliveira Martins, o ex-bastonário da Ordem dos Médicos Germano de Sousa, o médico José Fragata, ou os religiosos Vítor Melícias e Victor Feytor-Pinto.

«Que nos seja dada novamente oportunidade de pronunciar sobre esta proposta de lei de bases que estará agora a ser ultimada pelo Governo», apelam os subscritores, defendendo que se trata de uma questão «essencial para garantir a transparência e o processo de participação democrática».

Este “Grupo dos 44” pede igualmente que, quando a Lei de Bases for enviada para a Assembleia da República, o Parlamento «desencadeie os mecanismos de auscultação da sociedade portuguesa e, em particular, dos agentes da área pública, privada e social da saúde».

Os 44 subscritores dos «Princípios Orientadores da Saúde para uma Lei de Bases da Saúde» querem ser novamente ouvidos sobre a nova proposta, receando que o documento que vai ser aprovado pelo Governo tenha alterações substanciais em relação à proposta anterior

Recorde-se que o primeiro-ministro, António Costa, garantiu esta terça-feira que a proposta de Lei de Bases da Saúde será apreciada hoje no Conselho de Ministros, devendo dar entrada no Parlamento entre esta semana e a próxima.

De lembrar ainda que estas 44 personalidades apresentaram em maio uma proposta para uma nova lei de bases da saúde de um sistema centrado no utente, com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) como «espinha dorsal», mas articulado com os setores privado e social.  

18tm50N
13 de Dezembro de 2018
1850Pub5f18tm50N

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 14.06.2019

Rui Ivo volta a ser presidente do Infarmed

Rui Ivo é nomeado, pela segunda vez, presidente da direção do Infarmed.<br /> A nomeação do Conselh...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 Médicos estão cada vez mais receosos quando têm que denunciar insuficiênci...

Os profissionais de saúde têm «cada vez mais receio» de denunciar situações de insuficiências ou mau...

por Teresa Mendes | 14.06.2019

 IPO Lisboa apela à dádiva de sangue

No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, que se celebra esta sexta-feira, dia 14 de junho, o Ser...

14.06.2019

Taxas moderadoras nos centros de saúde com fim à vista

A proposta do Bloco de Esquerda que dita o fim das taxas moderadoras nos centros de saúde vai ser vo...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Médicos com alojamento assegurado para reforço de cuidados de saúde no verã...

 A Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve vai assegurar residência aos médicos que queiram...

por Teresa Mendes | 12.06.2019

Argumentos que pretendem proibir PPP na saúde «não são razoáveis»

Numa altura em que foi adiada a votação do artigo sobre as PPP da Lei de Bases da Saúde para o próxi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.