Ordem contesta o concurso extraordinário de acesso ao internato médico

por Teresa Mendes | 20.12.2018

Concurso resultou da votação das propostas de alteração à Lei do OE para 2019
A Ordem do Médicos (OM) manifestou esta quarta-feira «total discordância» com a aprovação de um concurso extraordinário de acesso ao internato médico - que resultou da votação das propostas de alteração à Lei do Orçamento de Estado para 2019 -, tendo já enviado um ofício ao Ministério da Saúde a alertar para as «desigualdades graves» que vai criar entre os candidatos.

Apesar de não terem sido definidos quaisquer detalhes relativos a este procedimento concursal (nomeadamente no que diz respeito à elegibilidade dos candidatos ou ao número e tipo de vagas disponíveis), a OM considera que «num paradigma atual de excesso de candidatos face ao número de vagas disponíveis, é ainda mais importante que se respeite a equidade no acesso ao Internato Médico».

«Seria manifestamente injusto que se alocassem vagas para a formação especializada a um concurso extraordinário, as quais seriam posteriormente sonegadas aos candidatos do concurso regular», argumenta o organismo num comunicado publicado no seu site.

A Ordem do Médicos manifestou esta quarta-feira «total discordância» com a aprovação de um concurso extraordinário de acesso ao internato médico, tendo já enviado um ofício ao Ministério da Saúde a alertar para as «desigualdades graves» que vai criar entre os candidatos

«A OM continuará a fazer um esforço para maximizar as capacidades formativas que virão a ser colocadas à disposição dos candidatos ao concurso do IM-2019, zelando para que a formação médica pós-graduada se continue a pautar pelos padrões de qualidade que são um dos pilares do SNS e da confiança que os cidadãos e, em especial, os doentes depositam nos seus profissionais de saúde», acrescenta ainda a nota à Imprensa.

Entretanto, segundo o bastonário da OM, Miguel Guimarães, o Ministério da Saúde já foi alertado para esta situação, que diz ser «potenciadora de graves desigualdades entre candidatos à Formação Especializada do Internato Médico», reiterando que «a equidade e justiça no acesso ao Internato Médico são valores inalienáveis para a OM».

18tm51M
20 de Dezembro de 2018
1851Pub5f18tm51M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Pneumonia: Mais de 50% dos doentes de risco não são aconselhados a vacinar-...

A pneumonia mata, em média, 23 pessoas por dia nos hospitais portugueses, mais do dobro da média eur...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Ministério da Saúde pede sindicância à Ordem dos Enfermeiros

A ministra da Saúde, Marta Temido, pediu à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) para realiz...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 «Suspeição intolerável» 

 A ministra da Saúde, Marta Temido, considera uma «suspeição intolerável» do bastonário da Ordem dos...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 SESARAM continua a não registar assiduidade dos seus trabalhadores

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TC) revelou, esta terça-feira, que o Serviço de Saúde da Região...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.