Ordem contesta o concurso extraordinário de acesso ao internato médico

por Teresa Mendes | 20.12.2018

Concurso resultou da votação das propostas de alteração à Lei do OE para 2019
A Ordem do Médicos (OM) manifestou esta quarta-feira «total discordância» com a aprovação de um concurso extraordinário de acesso ao internato médico - que resultou da votação das propostas de alteração à Lei do Orçamento de Estado para 2019 -, tendo já enviado um ofício ao Ministério da Saúde a alertar para as «desigualdades graves» que vai criar entre os candidatos.

Apesar de não terem sido definidos quaisquer detalhes relativos a este procedimento concursal (nomeadamente no que diz respeito à elegibilidade dos candidatos ou ao número e tipo de vagas disponíveis), a OM considera que «num paradigma atual de excesso de candidatos face ao número de vagas disponíveis, é ainda mais importante que se respeite a equidade no acesso ao Internato Médico».

«Seria manifestamente injusto que se alocassem vagas para a formação especializada a um concurso extraordinário, as quais seriam posteriormente sonegadas aos candidatos do concurso regular», argumenta o organismo num comunicado publicado no seu site.

A Ordem do Médicos manifestou esta quarta-feira «total discordância» com a aprovação de um concurso extraordinário de acesso ao internato médico, tendo já enviado um ofício ao Ministério da Saúde a alertar para as «desigualdades graves» que vai criar entre os candidatos

«A OM continuará a fazer um esforço para maximizar as capacidades formativas que virão a ser colocadas à disposição dos candidatos ao concurso do IM-2019, zelando para que a formação médica pós-graduada se continue a pautar pelos padrões de qualidade que são um dos pilares do SNS e da confiança que os cidadãos e, em especial, os doentes depositam nos seus profissionais de saúde», acrescenta ainda a nota à Imprensa.

Entretanto, segundo o bastonário da OM, Miguel Guimarães, o Ministério da Saúde já foi alertado para esta situação, que diz ser «potenciadora de graves desigualdades entre candidatos à Formação Especializada do Internato Médico», reiterando que «a equidade e justiça no acesso ao Internato Médico são valores inalienáveis para a OM».

18tm51M
20 de Dezembro de 2018
1851Pub5f18tm51M

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Economista Márcia Roque é a nova presidente da ACSS

O Conselho de Ministros (CM) desta quinta-feira nomeou a economista Márcia Roque para presidente do...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

 Portugal tem o maior rácio de médicos de MGF por habitante da UE

Portugal é o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de especialistas de Medicina Geral e Famil...

18.01.2019

CHUC lança projeto «H2 – Humanizar o Hospital»

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) lança, no próximo dia 24, o projeto «H2 - Huma...

por Teresa Mendes | 18.01.2019

Daniel Ferro substitui Carlos Martins à frente do CHULN

Daniel Ferro, atual presidente do conselho de administração do Hospital Garcia de Orta, vai substitu...

por Teresa Mendes | 17.01.2019

Cancro digestivo mata uma pessoa a cada hora em Portugal

O cancro digestivo mata uma pessoa por hora em Portugal, uma doença que tem vindo a aumentar nos últ...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

Governo quer melhorar os Serviços de Urgência

O Governo criou um grupo de trabalho para estudar os diferentes modelos organizativos no funcionamen...

por Teresa Mendes | 16.01.2019

 SIM acusa Governo de não resolver a «situação crítica» no INML

No dia da abertura do ano judicial o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) deixou um apelou ao Go...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.