SIM acusa Governo de não resolver a «situação crítica» no INML

por Teresa Mendes | foto de "DR" https://www.simedicos.pt/ | 16.01.2019

Em causa está a «incapacidade em manter e de recrutar novos profissionais»
No dia da abertura do ano judicial o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) deixou um apelou ao Governo para que «encare de forma séria os problemas do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF) e impeça a sua degradação crescente».
Em causa está a «incapacidade em manter os seus profissionais médicos e de recrutar novos».

Num comunicado publicado esta terça-feira no seu site, aquela estrutura sindical lamenta a atitude do Governo que persiste em não resolver os problemas que causam uma «situação crítica no Instituto», resultante da «incapacidade em manter os seus profissionais médicos e de recrutar novos, causando sérios constrangimentos ao seu funcionamento e uma carga de trabalho quase insustentável».

No dia da abertura do ano judicial o Sindicato Independente dos Médicos deixou um apelou ao Governo para que «encare de forma séria os problemas do Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses e impeça a sua degradação crescente» 

O SIM fala ainda do que diz ser «o autismo do Governo em relação aos avisos dos sindicatos e aos alertas dos seus profissionais médicos, os quais ainda recentemente fizeram chegar ao Ministério da Justiça um documento assinado por quase todos os médicos», lamentando «a atitude da senhora Ministra da Justiça, que se tem recusado a responder a todos os pedidos de audiência».

Recorde-se que após um longo processo negocial e depois de se ter atingido um acordo de princípio com os dois sindicatos médicos, há mais de seis meses que o Governo persiste no seu congelamento.

Na origem dos problemas nos recursos humanos está o facto de ser uma carreira também tutelada pelo Ministério da Justiça, existindo múltiplas dificuldades, entre as quais a entrada na carreira médica enquanto assistente, a obtenção do grau de consultor, a respetiva progressão para as categorias de assistente graduado e posteriormente de assistente graduado sénior, bem como as questões inerentes ao enquadramento legal desta carreira.

O comunicado do SIM está disponível aqui   

19tm03k
16 de Janeiro de 2019
1903Pub4f19tm03k

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Pneumonia: Mais de 50% dos doentes de risco não são aconselhados a vacinar-...

A pneumonia mata, em média, 23 pessoas por dia nos hospitais portugueses, mais do dobro da média eur...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Ministério da Saúde pede sindicância à Ordem dos Enfermeiros

A ministra da Saúde, Marta Temido, pediu à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) para realiz...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 «Suspeição intolerável» 

 A ministra da Saúde, Marta Temido, considera uma «suspeição intolerável» do bastonário da Ordem dos...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 SESARAM continua a não registar assiduidade dos seus trabalhadores

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TC) revelou, esta terça-feira, que o Serviço de Saúde da Região...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.