Lei de Bases da Saúde «deve garantir delimitação de sectores público e privado»

por Teresa Mendes | 25.01.2019

Fnam defende fim das taxas moderadoras 
Numa altura em que foram apresentadas várias propostas para uma nova Lei de Bases da Saúde, a Federação Nacional dos Médicos (Fnam) apela à Assembleia da República que «faça aprovar uma lei que garanta um Serviço Nacional de Saúde (SNS) público, com delimitação entre os sectores público e privado e que defenda as carreiras médicas».

Num comunicado divulgado esta quarta-feira, a Fnam defende ainda «um SNS público, universal, solidário e tendencialmente gratuito, sem cobrança de taxas moderadoras», considerando que estas «não moderam uma procura desnecessária».

Para aquela estrutura sindical «a promiscuidade entre o sector público e privado tem conduzido à depauperação do SNS, com o respaldo da Lei de Bases atualmente em vigor», defendendo ser «urgente definir uma política gradual de delimitação entre os sectores público, privado e social, a começar pelo fim do financiamento das unidades privadas através de dinheiros públicos».

Desta forma, afirma a Fnam, «as entidades do sector social e privado podem assumir um papel supletivo e temporário na prestação de cuidados de saúde, na ausência de resposta adequada e atempada do SNS». 

Por outro lado, «deve haver total transparência na acumulação de funções, por parte de profissionais, quando em trabalho nos vários sectores», lê-se no comunicado.

Numa altura em que foram apresentadas várias propostas para uma nova Lei de Bases da Saúde, a Federação Nacional dos Médicos apela à Assembleia da República que «faça aprovar uma lei que garanta um Serviço Nacional de Saúde público, com delimitação entre os sectores público e privado e que defenda as carreiras médicas» 

A Fnam considera ainda ser necessário «assegurar a negociação e integral aplicação dos Acordos Coletivos de Trabalho (ACT) em todos os locais de trabalho e garantir a implementação da carreira médica em todos os estabelecimentos de saúde».

«A política de saúde a ser salvaguardada na Lei de Bases da Saúde deve ser centrada nas pessoas, reforçando o papel dos Cuidados de Saúde Primários na estruturação do SNS enquanto padrão de prestação de cuidados de saúde de proximidade e de qualidade», defende o sindicato.

19tm04s
25 de Janeiro de 2019
1904Pub6f19tm04s

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.09.2019

 Melhoria do SNS «cabe a todos»

Melhorar a qualidade de acesso, motivar os profissionais e aumentar a sua produtividade e reforçar o...

18.09.2019

Falta de medicamentos: Doentes alertam para «realidade assustadora»

Setenta associações de doentes enviaram uma carta ao Infarmed a alertar para a «realidade assustador...

por Teresa Mendes | 18.09.2019

 Curso de Atualização em Medicina Interna 2019 decorre de 18 a 23 de novemb...

Estão abertas as inscrições para o 2.º Curso de Atualização em Medicina Interna 2019, uma iniciativa...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Afinal, é a lei que limita fármacos inovadores a não ser perante risco imed...

Afinal, é a própria lei que limita as autorizações excepcionais para ter acesso aos fármacos inovado...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

 Cancro de cabeça e pescoço mata três portugueses por dia

A Semana Europeia de Luta Contra o Cancro de Cabeça e Pescoço arrancou esta segunda-feira em Lisboa....

por Teresa Mendes | 17.09.2019

 Pelo menos 5 pessoas morrem a cada minuto devido a erros clínicos

No dia em que celebra o primeiro Dia Mundial para a Segurança do Doente (17 de setembro), a Organiza...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Só os neurónios mais viáveis sobrevivem no desenvolvimento do sistema nervo...

Ao contrário do pensado, não é o acaso que determina quais as células que irão formar o sistema nerv...

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 Profissionais estão a «deixar de acreditar nesta forma única de organizaçã...

Prestes a iniciar o quarto trimestre de 2019, altura em que deveria estar a ser realizada a transiçã...

16.09.2019

Bastonária da OE chama Miguel Guimarães para ser ouvido no caso da sindicân...

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros (OE), Ana Rita Cavaco, quer incluir, como testemunhas, o ex-mi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.