Médicos juntam-se à greve nacional marcada para 15 de fevereiro

por Teresa Mendes | 01.02.2019

Pré-aviso contém 10 pontos reivindicativos 
A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) vai juntar-se à greve nacional marcada para o próximo dia 15 de fevereiro pela Frente Comum da Administração Pública.

O pré-aviso de greve foi emitido hoje e contém 11 pontos reivindicativos.

Nos motivos para a greve estão a revisão da tabela salarial das categorias médicas, reivindicando a Fnam, «desde já, um aumento geral de 4%» como é reclamado pela maioria dos sindicatos da Administração Pública; a contagem de todo o tempo de serviço para efeitos de progressão na carreira e a contagem de 2 pontos anuais para efeitos de progressão nas posições remuneratórias, face à não aplicação do SIADAP.

Aquela estrutura sindical apela igualmente à eliminação do SIADAP para os médicos, «dado a impossibilidade da sua aplicação ao nosso sector profissional como se verificou nestes últimos 10 anos».

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) vai juntar-se à greve nacional marcada para o próximo dia 15 de fevereiro pela Frente Comum da Administração Pública. O pré-aviso de greve foi emitido hoje e contém 11 pontos reivindicativos 

A passagem das 18 horas de serviço de urgência semanal para as 12 horas; colocar as listas de utentes dos médicos de família no limite máximo de 1550 (1917 unidades ponderadas), «permitindo uma maior e mais célere capacidade de resposta às necessidades dos cidadãos e na marcação das consultas» e «estabelecer o estatuto de profissão de desgaste rápido e de penosidade acrescida para a carreira médica», são outros dos pontos assinalados no pré-aviso de greve.

O documento recusa ainda a «política de municipalização dos serviços de saúde», e apoia uma nova Lei de Bases da Saúde que «assegure o papel nuclear do SNS na prestação de cuidados de saúde aos cidadãos e que ponha termo à escandalosa promiscuidade de sectores prestadores e à parasitação crescente dos dinheiros públicos em benefício de acionistas de entidades privadas».

O pré-aviso pode ser consultado aqui 

19tm05r
01 de Fevereiro de 2019
1905Pub6f19tm05r

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 01.06.2020

Covid-19: SIM apresenta queixa à Provedoria de Justiça por discriminação do...

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) apresentou queixa à Provedora de Justiça contra o que diz...

por Teresa Mendes | 01.06.2020

HGO: Médicos ameaçam demissão em bloco após afastamento do diretor de Obste...

Os médicos do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Garcia de Orta<br /> (HGO), em Almad...

por Teresa Mendes | 01.06.2020

CEMP contra aumento de vagas nos cursos de medicina

Numa carta aberta ao ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Conselho de Escolas Médica...

por Teresa Mendes | 01.06.2020

Mais de 60% da população com níveis baixos de atividade física durante o co...

Durante o período de confinamento devido à pandemia de Covid-19, os portugueses praticaram menos ati...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

BE quer garantir subsídio de risco aos profissionais de saúde 

 O Bloco de Esquerda (BE) entregou esta quarta-feira um projeto de lei na Assembleia da República ap...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

«Uma notícia que nos alimenta a esperança» 

Dos 3398 profissionais de saúde infetados com a doença Covid-19, já recuperaram 2161, revelou esta q...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.