Governo suspende PPP no Hospital de Braga

07.02.2019

Ministra garante que unidade será transformada em EPE
O Governo assegurou, esta quarta-feira, que está suspenso o lançamento de concurso para nova parceria público-privada (PPP) do hospital de Braga e que a unidade tem de ser transformada em entidade pública empresarial (EPE) para que a gestão passe a ser pública.

Esta foi a garantida deixada pela ministra da Saúde ouvida esta quarta-feira na Comissão Parlamentar de Saúde, a pedido do Bloco de Esquerda, sobre a gestão daquela unidade hospitalar.

Aos deputados, Marta Temido disse que o Governo vai assegurar a reversão da gestão do hospital de Braga para a esfera pública, considerando que o novo concurso para PPP que estava a ser preparado pela Administração Regional de Saúde do Norte «carece de utilidade».

«Este novo concurso tem de ser suspenso», afirmou a responsável, adiantando que terá de se transformar a gestão da unidade em entidade pública empresarial (EPE).

O Governo afirmou, esta quarta-feira, que está suspenso o lançamento de concurso para nova PPP do hospital de Braga e que a unidade tem de ser transformada em entidade pública empresarial para que a gestão passe a ser pública 

Já em dezembro, a ministra da Saúde tinha dito no Parlamento que o atual gestor privado (grupo Mello) tinha mostrado indisponibilidade para prolongar a gestão público-privada nos moldes atuais, e até novo concurso, a partir de agosto, quando termina o contrato.

Agora, Marta Temido adiantou que os trabalhos para lançar um novo concurso estão mesmo suspensos e que o que está agora em causa é preparar o processo de reversão para a esfera pública.

A deputada Ana Rita Bessa, do CDS-PP, questionou duas vezes o Governo sobre a necessidade de um orçamento retificativo para acomodar os gastos que o Estado terá com o hospital de Braga entre setembro de dezembro deste ano ou onde estão inscritas no Orçamento do Estado essas verbas.

Contudo, segundo o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ramos, não será necessário um orçamento retificativo. O governante informou que o atual Orçamento tem uma redução de 70 milhões de euros nas verbas atribuídas às PPP, sendo que esse valor poderá servir para usar nos quatro meses de gestão pública do hospital de Braga.

19tm06n
07 de Fevereiro de 2019
1906Pub5f19tm06n

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

SIM pondera convocar greve dos médicos do Instituto Nacional de Medicina Le...

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) pondera o «endurecimento das formas de luta», nomeadament...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

APDIP reclama estatuto de doença crónica para as imunodeficiências primária...

Na semana mundial dedicada às imunodeficiências Primárias, que se assinala de 22 a 29 de abril, a As...

por Teresa Mendes | 22.04.2019

Instituto de Medicina Legal passa a realizar autópsias aos fins-de-semana e...

O Conselho de Ministros (CM) aprovou nesta quinta-feira a proposta de lei que permite ao Instituto N...

por Teresa Mendes | 22.04.2019

Fisioterapeutas contra regulamento do Acto Médico

A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas (Apfisio) está contra o projeto de regulamento do Acto Mé...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 22.04.2019

 Luís Martins Amaro nomeado novo presidente do Hospital Garcia de Orta

O actual diretor executivo do agrupamento de centros de saúde Almada-Seixal, Luís Manuel Martins Ama...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.