Fnam pede intervenção do CNS para reformular organização dos hospitais 

por Teresa Mendes | 15.02.2019

«Doente é obrigado a uma “via-sacra” de consultas», alerta a Fnam
A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) apela ao presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS) para que o órgão a que preside faça «uma urgente reflexão sobre a organização hospitalar e correspondente necessidade de reformulação».

Numa carta enviada a Henrique Barros, o sindicato considera que a atual organização e governação dos serviços de saúde, nomeadamente os serviços hospitalares está «imutável desde há décadas» e «longe de satisfazer» as necessidades.

Na missiva, a Fnam alerta para serviços de saúde «organizados em serviços de ação médica monovalentes, funcionando de forma fechada (pouco abertos à abordagem do doente numa perspetiva multidisciplinar), centrados nos desígnios da direção de serviço e dos grupos profissionais».

Numa carta enviada a Henrique Barros, o sindicato considera que a atual organização e governação dos serviços de saúde, nomeadamente os serviços hospitalares está «imutável desde há décadas» e «longe de satisfazer» as necessidades

O sindicato dá o exemplo de um doente diabético que para ser apoiado nas diferentes valências - consultas de Endocrinologia, cuidados de Neurologia, de Oftalmologia, de Cirurgia Vascular, de Pé Diabético, de Nutrição, etc. - «é obrigado a uma “via-sacra” de consultas, cada uma implicando deslocações quantas vezes de quilómetros por esse País fora».

«É convicção generalizada e consensual de que é primordial não só reforçar o poder do cidadão no Serviço Nacional de Saúde (SNS), como colocar o cidadão no centro do mesmo», defende a Fnam, acrescentando que «a desejada centralidade do doente na modelação da organização dos serviços prestadores implica que o interesse daqueles deve prevalecer sobre quaisquer outros presentes na realidade do SNS».

O comunicado pode ser lido na íntegra aqui  

19tm07q
15 de Fevereiro de 2019
1907Pub6f19tm07q

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.05.2019

 Número de pessoas que morre sem cuidados paliativos pode duplicar em 2060

 O número de pessoas que morre sem acesso a cuidados paliativos pode duplicar em 2060.<br /> Segund...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

Unidades de saúde mental forense não prisionais vão ter equipa clínica mult...

As unidades de saúde mental forense não prisionais vão passar a ter formalmente uma equipa clínica m...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

Ordem cria Gabinete Nacional de Apoio ao Médico

Os médicos em burnout podem recorrer, a partir de hoje, dia 24 de maio, a um gabinete de apoio criad...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

Palco será dado a quem vive a realidade da dor crónica de perto

O próximo dia 31 de maio será um dia de reflexão, onde o palco será dado a quem vive a realidade da...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

O  ciclo de vida do medicamento explicado aos jovens

O Infarmed produziu um vídeo dirigido aos jovens, onde explica as etapas do ciclo de vida do medicam...

por Teresa Mendes | 24.05.2019

 Governo vai impulsionar criação de USF em contextos complexos 

O Governo está determinado a apoiar e impulsionar a criação de Unidades de Saúde Familiar (USF) em c...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.