Dosagem de 6 em 6 semanas para todas as indicações de pembrolizumab 

12.03.2019

CHMP recomendou a aprovação de um novo esquema posológico 
A MSD anunciou esta segunda-feira que o Comité dos Medicamentos para Uso Humano (CHMP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomendou a aprovação de um novo esquema posológico para todas as indicações de pembrolizumab em monoterapia aprovadas na União Europeia (UE).

Na UE, pembrolizumab como monoterapia está atualmente aprovado para oito indicações em cinco tipos de tumores.

No comunicado a companhia farmacêutica informa que «o parecer positivo do CHMP apoia uma nova posologia recomendada de 400 mg a cada seis semanas (Q6W) administrada por perfusão intravenosa durante 30 minutos».

Se aprovado pela Comissão Europeia (CE), a dose de Q6W fica disponível como complemento à posologia atualmente aprovada de pembrolizumab 200 mg a cada três semanas (Q3W) administrada por perfusão intravenosa durante 30 minutos, acrescenta a nota à Imprensa.

A MSD anunciou esta segunda-feira que o Comité dos Medicamentos para Uso Humano (CHMP) da Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomendou a aprovação de um novo esquema posológico para todas as indicações de pembrolizumab em monoterapia aprovadas na União Europeia

A recomendação do CHMP será agora revista pela CE para autorização de comercialização na UE, sendo a decisão final esperada para o segundo trimestre de 2019.

«A MSD continua empenhada em melhorar a vida das pessoas com cancro, o que inclui a procura de opções inovadoras para administrar pembrolizumab atendendo às necessidades exclusivas de doentes e profissionais de saúde», afirmou Scot Ebbinghaus, vice-presidente de pesquisa clínica da MSD Research Laboratories.

«É importante realçar que o parecer positivo do CHMP apoia a aprovação de uma opção posológica de seis semanas em todas as oito indicações aprovadas de pembrolizumab em monoterapia, na Europa, abrangendo cinco tipos de cancro.

Se aprovado pela CE, a posologia de pembrolizumab 400 mg a cada seis semanas permitirá aos médicos e doentes uma maior flexibilidade nos planos de tratamento», reforçou o responsável.

19tm11f
12 de Março de 2019
1911Pub3f19tm11f

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 11.12.2019

 Secretário de Estado louva o que de «bom, ótimo e excelente» se faz no HSM

No 65.º aniversário do Hospital de Santa Maria (HSM), o secretário de Estado da Saúde elogiou o que...

11.12.2019

Médicos e administradores defendem estratégia nacional para a Medicina de P...

Portugal precisa de uma estratégia nacional para a Medicina de Precisão, defendem administradores ho...

por Teresa Mendes | 11.12.2019

 E que tal fazer deste Natal… um «Natal Diferente»?

As associações de estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) e da Faculdad...

por Teresa Mendes | 11.12.2019

3.º Fórum do Conselho Nacional de Saúde decorre a 16 de dezembro

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) organiza, no próximo dia 16 de dezembro, no Auditório António de...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

 Ordem lamenta que ministra esconda realidade do Algarve

Em resposta às declarações da ministra da Saúde, que na passada sexta-feira disse, na sequência dos...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

 Risco de queda passa a ser avaliado em todos os doentes internados

Por proposta conjunta do Departamento da Qualidade na Saúde, da Ordem dos Médicos e da Ordem dos Enf...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.