Foca robô dá «paz» e «bem-estar» aos doentes da UCC Amadora

por Teresa Mendes | 13.03.2019

Ferramenta facilita diálogo
A prestação de cuidados domiciliários aos doentes integrados na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, que são acompanhados pela Unidade de Cuidados Continuados (UCC) Amadora +, tem tido o contributo do PARO, uma foca robô bebé, que, de acordo com a SPMS, tem sido uma «mais-valia» para os doentes.

Esta ferramenta usada para fins terapêuticos, que permite melhorar a qualidade de vida de pessoas internadas, com a intenção de ter um efeito calmante, foi oferecida pela SPMS – Serviço Partilhados do Ministério da Saúde ao Aces Amadora em julho de 2018, e foi inserida nas visitas ao domicílio a 10 doentes, com idades entre os 40 e 92 anos, apresentando foro patológico variável.

De acordo com a SPMS, nesta primeira fase do projeto, «o grau de aceitação tem sido positivo», verificando-se uma maior satisfação por parte dos doentes que se referiram ao PARO como «carinhoso» e «bonito». Cada interação dos doentes foi de 20 a 60 minutos e, quando questionados sobre o que sentiram, frequentemente frisaram a «paz» e o «bem-estar».

Sendo um elemento diferente e inovador neste tipo de cuidados, a foca robô tem acompanhado uma profissional médica das Equipas de Cuidados Continuados Integrados, que presta apoio a doentes sem médico de família

Além de fomentar o movimento ao serem pedidas pequenas ações, como «fazer uma festa», verificou-se também que o robô foi facilitador do diálogo entre profissionais de saúde, doentes e cuidadores e, em algumas situações, foi uma importante ajuda em períodos de maior agitação do doente.

Após algum tempo de intervalo entre as visitas médicas, o PARO serviu, também, como elemento facilitador da identificação do profissional médico», destaca a SPMS num comunicado.

Esta experiência «mostra que os sentimentos positivos e o efeito calmante nos doentes constituem mais-valias nas visitas domiciliárias com o PARO, contribuindo para a melhoria na prestação de cuidados», conclui a SPMS.

19tm11j
13 de Março de 2019
1911Pub4f19tm11j

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 11.12.2019

3.º Fórum do Conselho Nacional de Saúde decorre a 16 de dezembro

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) organiza, no próximo dia 16 de dezembro, no Auditório António de...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

 Ordem lamenta que ministra esconda realidade do Algarve

Em resposta às declarações da ministra da Saúde, que na passada sexta-feira disse, na sequência dos...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

 Risco de queda passa a ser avaliado em todos os doentes internados

Por proposta conjunta do Departamento da Qualidade na Saúde, da Ordem dos Médicos e da Ordem dos Enf...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

Suplemento devido desde 2009 às autoridades de saúde do país nunca foi pago

Há 10 anos que os médicos que exercem o poder de autoridade de saúde deveriam estar a receber um sup...

por Teresa Mendes | 10.12.2019

 Instituto Ricardo Jorge celebra 120 anos

No próximo dia 17 de dezembro, assinala-se o Dia do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge...

por Teresa Mendes | 09.12.2019

Afinal, a cesariana não aumenta o risco de obesidade na criança

As crianças nascidas através de cesariana não têm, afinal, uma probabilidade aumentada de virem a de...

por Teresa Mendes | 09.12.2019

Idoneidade e capacidades formativas: Grupo de trabalho vai criar manual com...

O Ministério da Saúde decidiu criar um grupo de trabalho para a elaboração de um manual de regras e...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.