Médicos lançam «Ossos Fortes» para alertar para os riscos da osteoporose

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 19.03.2019

Fratura da anca pode ser uma sentença de morte 
A osteoporose está na origem de cerca de 40 mil fraturas por ano em Portugal, representando um impacto negativo importante na morbilidade e na qualidade de vida dos doentes e mesmo reduzir a sobrevivência, alerta a Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR).
O novo site «Ossos Fortes» pretende contribuir para a educação da população.

Só as fraturas da anca em pessoas com osteoporose representam uma totalidade de 10 mil fraturas anuais.

Para contrariar estes números, a SPR,  a Associação Nacional contra a Osteoporose (APOROS) e a Sociedade Portuguesa de Osteoporose e Doenças Ósseas Metabólicas (SPODOM) uniram-se na construção deste novo site, uma das ações da campanha «Impeça a Osteoporose de quebrar a sua rotina», que «procura dar à população uma ferramenta de apoio para este problema de saúde pública», salienta um comunicado.

A nova plataforma abordará problemas como a falta de adesão à terapêutica, a carência de vitamina D, entre outros temas pertinentes, e suas implicações na saúde e bem-estar das pessoas com osteoporose.

Segundo Luís Cunha Miranda, médico e presidente da SPR, alerta que «20% das mulheres que sofrem uma fratura da anca acabam por falecer um ano após a fratura e, como tal, temos de promover a implementação de boas práticas que ajudem a melhorar a qualidade de vida dos doentes e diminuir a morbilidade e mortalidade na osteoporose». 

A osteoporose está na origem de cerca de 40 mil fraturas por ano em Portugal, representando um impacto negativo importante na morbilidade e na qualidade de vida dos doentes e mesmo reduzir a sobrevivência, alertam os médicos da Sociedade Portuguesa de Reumatologia. O novo site «Ossos Fortes» pretende contribuir para a educação da população 

Segundo dados da SPR, um estudo português estimou em 2016 a prevalência da osteoporose na população adulta em Portugal em 10%, sendo esta mais frequente entre as mulheres. Uma outra investigação mais recente (2018) estimou a prevalência de osteoporose na população feminina com mais de 65 anos em 50%, sendo que a prevalência de fraturas por fragilidade óssea neste escalão etário foi de 21%.

A descalcificação dos ossos poderá levar irremediavelmente a uma situação de osteopenia ou mesmo de osteoporose. Estima-se que a cada três segundos ocorra uma fratura osteoporótica em algum lugar do planeta.

19tm12h
19 de Março de 2019
1912Pub3f19tm12h

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 29.05.2020

BE quer garantir subsídio de risco aos profissionais de saúde 

 O Bloco de Esquerda (BE) entregou esta quarta-feira um projeto de lei na Assembleia da República ap...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

«Uma notícia que nos alimenta a esperança» 

Dos 3398 profissionais de saúde infetados com a doença Covid-19, já recuperaram 2161, revelou esta q...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

«Este é o momento de contratar mais médicos e de recuperar as carreiras» 

«O nosso trabalho é salvar vidas, ajudar os portugueses e ajudar o país.»<br /> <br /> Foi desta f...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

Sem confinamento SNS teria de atender três vezes mais doentes graves com Co...

Se o estado de emergência não tivesse vigorado em Portugal nos primeiros 15 dias de abril, as unidad...

por Teresa Mendes | 28.05.2020

Saldo do SNS em abril agravou-se 11,3 milhões de euros 

Em abril, o saldo do Serviço Nacional de Saúde (SNS) situou-se nos 149,2 milhões de euros negativos,...

por Teresa Mendes | 28.05.2020

Infarmed aprova financiamento de Keytruda® em combinação com pemetrexedo e...

O Infarmed aprovou, esta terça-feira, o financiamento de Keytruda® (pembrolizumab) em combinação com...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.