Infarmed aprova utilização de canábis para sete indicações terapêuticas

por Teresa Mendes | 21.03.2019

Espasticidade na EM e dor crónica entre as situações contempladas  
São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal autorizadas pelo Infarmed, entre as quais a espasticidade associada à esclerose múltipla ou a dor crónica devida a doenças oncológicas.

A deliberação, publicada no portal da Autoridade Nacional do Medicamento, entrou em vigor desde o início de fevereiro.

A lista das indicações terapêuticas consideradas apropriadas para as preparações e substâncias à base da planta da canábis, assinada pelo conselho diretivo do Infarmed, são as seguintes: Espasticidade associada à esclerose múltipla (EM) ou lesões da espinal medula; Náuseas, vómitos (resultante da quimioterapia, radioterapia e terapia combinada de HIV e medicação para hepatite C); Estimulação do apetite nos cuidados paliativos de doentes sujeitos a tratamentos oncológicos ou com SIDA; Dor crónica (associada a doenças oncológicas ou ao sistema nervoso, como por exemplo na dor neuropática causada por lesão de um nervo, dor do membro fantasma, nevralgia do trigémio ou após herpes zoster); Síndrome de Gilles de la Tourette; Epilepsia e tratamento de transtornos convulsivos graves na infância, tais como as síndromes de Dravet e Lennox-Gastaut e glaucoma resistente à terapêutica. 

São sete as indicações terapêuticas para a utilização de medicamentos à base de canábis medicinal autorizadas pelo Infarmed, entre as quais a espasticidade associada à esclerose múltipla ou a dor crónica devida a doenças oncológicas

O Infarmed salienta, no entanto, que esta lista deve ser «revista periodicamente em função da evolução do conhecimento técnico científico» e que as preparações e substâncias à base da planta de canábis devem ser utilizadas «apenas nos casos em que se determine que os tratamentos convencionais com medicamentos autorizados não estão a produzir os efeitos esperados ou provocam efeitos adversos relevantes». 

A deliberação está disponível aqui

19tm12m
21 de Março de 2019
1912Pub5f19tm12m

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Pneumonia: Mais de 50% dos doentes de risco não são aconselhados a vacinar-...

A pneumonia mata, em média, 23 pessoas por dia nos hospitais portugueses, mais do dobro da média eur...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

Ministério da Saúde pede sindicância à Ordem dos Enfermeiros

A ministra da Saúde, Marta Temido, pediu à Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) para realiz...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 «Suspeição intolerável» 

 A ministra da Saúde, Marta Temido, considera uma «suspeição intolerável» do bastonário da Ordem dos...

por Teresa Mendes | 24.04.2019

 SESARAM continua a não registar assiduidade dos seus trabalhadores

Uma auditoria do Tribunal de Contas (TC) revelou, esta terça-feira, que o Serviço de Saúde da Região...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Encontro internacional debate futuro do envelhecimento<br />  

A Academia Nacional de Medicina de Portugal (ANMP), o Science Advice for Policy by European Academie...

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo es...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.