«Mais de 50% dos cuidados de saúde» prestados aos militares são realizados por tarefeiros

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 27.03.2019

SIM vai promover reuniões com associações militares
O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) denuncia que «tal como no Serviço Nacional de Saúde (SNS), os cuidados de saúde prestados aos militares e aos seus familiares têm-se degradado».

Num comunicado, a estrutura sindical estima que «mais de 50% dos cuidados de saúde já serão realizados por empresas prestadoras de serviços com os conhecidos problemas». 

Além disso, salienta que «as várias especialidades médicas e cirúrgicas têm tido menos consultas numa população mais idosa e cada vez mais doente e com um SNS com mais dificuldades».

Na nota à Imprensa, publicada esta segunda-feira, o SIM considera ser «fundamental contratar médicos civis para os hospitais da Forças Armadas e evitar que os que estão saiam por não terem qualquer perspetiva de carreira e serem necessários no SNS e no setor privado».

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) denuncia que «tal como no Serviço Nacional de Saúde (SNS), os cuidados de saúde prestados aos militares e aos seus familiares têm-se degradado». Num comunicado, a estrutura sindical estima que «mais de 50% dos cuidados de saúde já serão realizados por empresas prestadoras de serviços com os conhecidos problemas»

A agravar esta situação, o sindicato informa que o acordo coletivo de empregador público obtido há um ano foi rasgado pelo Ministério da Defesa Nacional e substituído por «uma proposta inaceitável que, se avançasse, agravaria a grave situação», lê-se no comunicado.

A nota termina dizendo que «pela  terceira vez com o atual Ministro da Defesa Nacional» o SIM solicitou uma reunião, «que arrogantemente não merece qualquer resposta», acrescentando que voltaram a apelar ao Presidente da República e ao comandante supremo das Forças Armadas que «tenha a sensibilidade de olhar para este gravíssimo problema» e que irão «promover reuniões com associações de oficiais, sargentos e soldados para procurar soluções». 

19tm13i
27 de Março de 2019
1913Pub4f19tm13i

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 22.07.2019

 Transplante de órgãos aumentou 2% no primeiro semestre de 2019

A transplantação de órgãos em Portugal aumentou no primeiro semestre do ano em cerca de 2% - o equiv...

por Teresa Mendes | 22.07.2019

Aprovada a nova Lei de Bases da Saúde

Após vários avanços e recuos, o Parlamento aprovou sexta-feira o diploma da Lei de Bases da Saúde, q...

22.07.2019

Seguro público na Saúde é «aumento encapotado de impostos»

Em resposta à ideia de Francisco Ramos, secretário de Estado da Saúde, de criar um «um seguro comple...

por Teresa Mendes | 22.07.2019

 Nove em cada 10 idosos seguidos CSP sentem-se sozinhos

Nove em cada 10 idosos seguidos nos cuidados de saúde primários (CSP) sentem algum grau de solidão,...

por Teresa Mendes | 19.07.2019

 18.º ENIJMF vai apostar em sessões out-of-the-box!

Este ano, em Évora, o 18.º Encontro de Internos e Jovens Médicos de Família (ENIJMF) «fará uma grand...

por Teresa Mendes | 18.07.2019

«A situação na saúde no Algarve é muito grave»

Faltam meios humanos, técnicos e infraestruturais no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHU...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.