Avaliação do risco nutricional nos hospitais do SNS arranca em abril

por Teresa Mendes | 01.04.2019

20 a 50% dos doentes internados estão desnutridos 
Os hospitais vão iniciar, neste mês de abril, a avaliação do risco nutricional dos doentes. Esta identificação vai avançar com dois projetos piloto - na Unidade Local de Saúde do Alto Minho e no Centro Hospitalar de Lisboa Central -, sendo expectável o alargamento a todos os hospitais a partir do segundo semestre de 2019.

Esta medida, que visa a identificação precoce e o acompanhamento do estado nutricional durante o período de internamento, «tem potencial para envolver cerca de 800 mil doentes por ano» e «será certamente um passo essencial na implementação de uma estratégia de combate à desnutrição hospitalar, contribuindo para uma melhor recuperação dos doentes e para o aumento da qualidade de vida, tal como o Despacho n.º 6634/2018 determina», salienta um comunicado do Ministério da Saúde publicado no Portal do SNS na passada sexta-feira.

De acordo com a Tutela, «a prevalência da desnutrição em doentes internados estima-se ser entre 20% e 50%», motivo pelo qual, «a implementação de uma identificação precoce do risco nutricional irá trazer ganhos em termos de qualidade de vida e na recuperação do estado de saúde, podendo ainda contribuir para reduzir úlceras de pressão e reduzir custos, uma vez que a desnutrição está associada a internamentos mais longos, afetando sobretudo cidadãos mais idosos».

Os hospitais vão iniciar, neste mês de abril, a avaliação do risco nutricional dos doentes com dois projetos piloto - na Unidade Local de Saúde do Alto Minho e no Centro Hospitalar de Lisboa Central -, sendo expectável o alargamento a todos os hospitais a partir do segundo semestre de 2019 

Estando em curso a fase de conclusão da adaptação da plataforma informática do Sistema Clínico hospitalar, com vista à integração da ferramenta de avaliação do risco nutricional, os próximos passos serão implementar faseadamente a ferramenta de avaliação de risco nutricional nos hospitais do SNS; começar a integração através de dois projetos-piloto a iniciar até final de abril; avaliar esta integração, acautelando as necessidades técnicas e funcionais de cada instituição incluindo as diferentes realidades dos sistemas de informação; criar uma comissão de acompanhamento que avaliará esta implementação; e apresentar até ao final de julho as conclusões emanadas por esta comissão, tendo em vista o alargamento aos restantes hospitais do SNS.

Estas decisões resultaram de uma reunião que decorreu no passado dia 28 de março, no Ministério da Saúde, liderada pela secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, e em que estiveram presentes representantes da Ordem dos Nutricionistas (entre eles a bastonária Alexandra Bento), da Direção-Geral da Saúde (através da diretora do Programa Nacional para Alimentação Saudável, Maria João Gregório) e da Serviços Partilhados do Ministério da Saúde.
 
19tm14a
01 de Abril de 2019
1914Pub2f19tm14a

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.07.2019

 Governo autoriza abertura de mais 446 camas de cuidados continuados

 O Governo autorizou a abertura de mais 446 camas de cuidados continuados integrados, que podem come...

por Teresa Mendes | 15.07.2019

 Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral 2019 está em discussão pública

 A Direção-Geral da Saúde (DGS) colocou em discussão pública, até ao próximo dia 1 de agosto, o Prog...

por Teresa Mendes | 15.07.2019

 Apifarma lança «Prémio Cidadania em Saúde»

No âmbito das comemorações dos seus 80 anos, a Apifarma instituiu o «Prémio Cidadania em Saúde», que...

por Teresa Mendes | 12.07.2019

 Foram aprovados mais do dobro de medicamentos inovadores no primeiro semes...

O Infarmed informou, esta quinta-feira, que no primeiro semestre de 2019 foram «concluídos 61 proces...

por Teresa Mendes | 12.07.2019

 Saúde Mental é o «parente pobre da saúde em Portugal»

O Relatório de Primavera 2019, do Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS), considera que...

por Teresa Mendes | 12.07.2019

 Em Portugal «reina o mais profundo silêncio» sobre o VIH/Sida

Internacionalmente vive-se um período de entusiasmo e mobilização em torno do objetivo definido pelo...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.