Hospital de Braga passa a ter gestão pública a partir de 1 de setembro

por Teresa Mendes | 15.04.2019

PPP será reavaliada num prazo até cinco anos
Tal como assegurado no início de fevereiro pela ministra da Saúde no Parlamento, o Governo decidiu pôr termo aos trabalhos de preparação do lançamento de uma nova parceria público-privada (PPP) para a gestão clínica do Hospital de Braga.

Um despacho publicado esta sexta-feira no Diário da República assinado pelos  secretários de Estado das Finanças e da Saúde, determina a «reavaliação da oportunidade» de lançamento de uma nova PPP, num prazo até cinco anos a contar da data de constituição da pessoa coletiva pública que assumirá a gestão clínica daquele hospital.

O Hospital de Braga funciona, desde 2009, em regime de PPP, sendo gerido pelo Grupo José de Mello Saúde, num contrato que termina em 31 de agosto.

«O processo de reversão para a esfera pública da gestão do Hospital de Braga, a partir de 1 de setembro próximo, sendo uma consequência natural do término do contrato em vigor, tornou-se inevitável, porquanto o parceiro privado não se mostrou disponível para renovar o actual contrato em condições legalmente admissíveis», refere o despacho, acrescentando que a  reversão da gestão do Hospital de Braga para a esfera pública «constitui um processo complexo e demorado, porquanto exige diversas alterações aos processos de gestão previamente instituídos».

Tal como assegurado no início de fevereiro pela ministra da Saúde no Parlamento, o Governo decidiu pôr termo aos trabalhos de preparação do lançamento de uma nova parceria público-privada (PPP) para a gestão clínica do Hospital de Braga

O normativo salienta igualmente que a eventual passagem da gestão desse hospital novamente para um modelo de PPP «aconselha que o processo de internalização esteja plenamente consolidado, por forma a, nomeadamente, assegurar a estabilidade do estabelecimento e consequente definição do estabelecimento a transmitir».

«Assim, revertendo a gestão clínica do Hospital para a esfera pública, a preparação, à qual já se deu início, dos diversos instrumentos de gestão relevantes para a assunção da mesma por uma pessoa coletiva pública a constituir em breve, desaconselha a manutenção, em paralelo, e no imediato, da preparação de lançamento de novo procedimento concursal para a gestão clínica daquele Hospital, uma vez que é imperativo e indispensável previamente assegurar a estabilidade e a solidez da gestão pública daquele hospital», lê-se no diploma.
 
19tm16b
15 de Abril de 2019
1916Pub2f19tm16b

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

19.06.2019

Texto da nova Lei de Bases da Saúde fica sem referências às PPP

O grupo de trabalho que discute a nova Lei de Bases da Saúde no Parlamento chumbou esta terça-feira...

por Teresa Mendes | 19.06.2019

 «Na saúde não chega fazer muito... tem que se fazer bem»

«O sistema de saúde é complexo e não pode ser objeto de intervenções pouco pensadas, sujeitas a imed...

por Teresa Mendes | 19.06.2019

 7.ª Edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto conta com mais de 100 candi...

São mais de 100 as candidaturas recebidas pelo comité da 7.ª Edição do Prémio Maria José Nogueira Pi...

por Teresa Mendes | 19.06.2019

 «Beyond Cervical Cancer» é o mote do «HPV Clinical Cases»

A MSD Portugal está a promover o «HPV Clinical Cases», uma iniciativa que tem como objetivo «reunir,...

por Teresa Mendes | 18.06.2019

Aumento da mortalidade materna e infantil são reflexo da falta de especiali...

A Ordem dos Médicos (OM) defende a necessidade de alterar urgentemente a forma e os prazos dos concu...

por Teresa Mendes | 18.06.2019

 Candidaturas ao Prémio Nacional de Saúde 2019 abertas até 30 de junho

Decorrem, até 30 de junho, as candidaturas Prémio Nacional de Saúde 2019.<br /> Este galardão atrib...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.