Fisioterapeutas contra regulamento do Acto Médico

por Teresa Mendes | 22.04.2019

Apfisio alega que projeto «claramente excede as competências da OM»
A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas (Apfisio) está contra o projeto de regulamento do Acto Médico da Ordem dos Médicos (OM).

Numa posição pública divulgada esta quinta-feira, aquela instituição considera que o documento «desrespeita o princípio da autonomia profissional limitando o exercício dos diferentes profissionais nos cuidados de saúde».

O comunicado assinado pelo vice-presidente do conselho diretivo nacional, Pedro Rebelo, defende que o projecto de regulamento, publicado no final de março no Diário da República, «ignora os modelos de trabalho interdisciplinares contrariando as regras de boas práticas em saúde atualmente recomendadas internacionalmente».

Além disso, «desrespeita o princípio da autonomia profissional limitando o exercício dos diferentes profissionais nos cuidados de saúde e desconsidera o corpo de saberes próprio de cada grupo profissional», lê-se no parecer.

A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas está contra o projeto de regulamento do Ato Médico da Ordem dos Médicos. Numa posição pública, aquela instituição considera que o documento «desrespeita o princípio da autonomia profissional limitando o exercício dos diferentes profissionais nos cuidados de saúde»

As críticas não ficam por aqui, com aquela Associação a alertar para a criação de uma «dependência funcional entre grupos profissionais autónomos e cientificamente independentes, que se pretendem complementares, ao afirmar que a coordenação de equipas multidisciplinares deverá ser feita por médicos, o que claramente excede as competências da OM».

Por fim, o parecer da Apfisio diz ainda que este regulamento «limita o acesso do cidadão aos serviços de saúde prestados por outros grupos profissionais, contrariando o seu direito à livre escolha e acesso à saúde, podendo influenciar de forma negativa sustentabilidade dos cuidados de saúde prestados».

19tm17a
22 de Abril de 2019
1917Pub2f19tm17a

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Executivo abre 1129 vagas para as áreas de MGF, hospitalar e de Saúde Públ...

O Governo cumpriu o prazo de 30 dias para a abertura de concursos após a fixação da lista de classif...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Semana Europeia do Teste da Primavera decorre até 24 de maio

Começa hoje e decorre até 24 de maio, a Semana Europeia do Teste Primavera 2019, organizada pela HIV...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Daniel Ferro nomeado presidente do CHULN

O ex-presidente da administração do Hospital Garcia de Orta, Daniel Ferro, vai liderar o conselho de...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 É ilegal recusar tratar doentes que não autorizam o tratamento de dados pe...

A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) considerou ilegal a recusa de prestação de cuidados...

16.05.2019

Dados de listas de espera envergonham o país, diz Ordem dos Médicos

A Ordem dos Médicos (OM) classificou esta quarta-feira como «desastrosos» os dados revelados pela En...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 Convenção Nacional da Saúde 2019 decorre a 18 de junho

 A edição de 2019 da Convenção Nacional de Saúde (CNS) vai ter lugar no próximo dia 18 de junho, no...

15.05.2019

Tempos de espera para cirurgias mais do que duplicaram

Quase 40% das consultas hospitalares a pedido dos cuidados de saúde primários (CSP) não foram realiz...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.