Manifesto da EFPIA reforça os benefícios das vacinas

por Teresa Mendes | 23.04.2019

Vacinação para uma Europa mais saudável 
«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo especializado em vacinas da Federação Europeia da Indústria Farmacêutica (EFPIA), que defende que a vacinação deve ser parte integrante de uma política de prevenção bem-sucedida na Europa, protegendo os cidadãos europeus contra doenças evitáveis. 

O documento, disponível em vaccineseurope.eu/manifesto, e que conta com o apoio da Apifarma, defende que os líderes da União Europeia têm um papel fundamental a desempenhar nas políticas de vacinação, incentivando as autoridades públicas, conjuntamente com todas as partes interessadas, a implementá-las.

O manifesto aponta alguns desafios a ultrapassar, nomeadamente o facto de «as vacinas serem vítimas do próprio sucesso uma vez que a ausência de doenças graves, devido à eficácia das vacinas, alimentou a perceção errada de que a vacinação deixou de ser necessária».

Além disso, «a multiplicação de notícias falsas, pese embora os altos padrões de qualidade aplicados à produção de vacinas, desafia constantemente a evidência sobre a segurança e a eficácia da vacinação», lê-se no documento divulgado esta segunda-feira pela Apifarma.

Nesse sentido, o manifesto recomenda que se apoiem políticas de vacinação em todas as fases da vida das pessoas, contribuindo assim para a sustentabilidade dos sistemas de Saúde e para a produtividade da sociedade. A par disso, sugere a criação de metas de vacinação para toda a Europa, avançando uma taxa de 95% de cobertura vacinal contra o sarampo até 2020.

A articulação entre as autoridades de saúde e a indústria farmacêutica é também referida no documento que propõe «o aperfeiçoamento e a criação de incentivos para a Investigação & Desenvolvimento de novas vacinas e a urgência de promover o diálogo entre as partes, por forma a antecipar e planear melhor as necessidades de imunização das populações».

«Construir uma Europa mais Saudável» é o título do manifesto criado pela Vaccines Europe, o grupo especializado em vacinas da Federação Europeia da Indústria Farmacêutica, que defende que a vacinação deve ser parte integrante de uma política de prevenção bem-sucedida na Europa, protegendo os cidadãos europeus contra doenças evitáveis 

Entre outras recomendações, surge igualmente a proposta de avançar para a criação de um Cartão de Vacinação Europeu, com informação normalizada, útil para facilitar a interpretação dos registos de vacinação e assegurar a continuidade da vacinação transfronteiriça.

No comunicado, a Apifarma lembra que o estudo «Perceção do Valor das Vacinas», promovido em 2018 pela Comissão Especializada de Vacinas da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica, indica que «96,3% da população portuguesa defende que todas as vacinas com indicação para a administração em idade pediátrica devem ser integradas no Programa Nacional de Vacinação (PNV), isto é, todas as vacinas devem ser gratuitas».

O estudo evidencia ainda que os portugueses têm um conhecimento sólido quanto aos benefícios da vacinação, com a maioria dos inquiridos a reconhecer que as vacinas têm contribuído para a erradicação de doenças a nível mundial. 

19tm17g
23 de Abril de 2019
1917Pub3f19tm17g

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Executivo abre 1129 vagas para as áreas de MGF, hospitalar e de Saúde Públ...

O Governo cumpriu o prazo de 30 dias para a abertura de concursos após a fixação da lista de classif...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Semana Europeia do Teste da Primavera decorre até 24 de maio

Começa hoje e decorre até 24 de maio, a Semana Europeia do Teste Primavera 2019, organizada pela HIV...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Acordo entre FMUL e Fundação Champalimaud reforça laços existentes

O diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Fausto Pinto, e a presidente da Fundaç...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Daniel Ferro nomeado presidente do CHULN

O ex-presidente da administração do Hospital Garcia de Orta, Daniel Ferro, vai liderar o conselho de...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 É ilegal recusar tratar doentes que não autorizam o tratamento de dados pe...

A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) considerou ilegal a recusa de prestação de cuidados...

16.05.2019

Dados de listas de espera envergonham o país, diz Ordem dos Médicos

A Ordem dos Médicos (OM) classificou esta quarta-feira como «desastrosos» os dados revelados pela En...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 Convenção Nacional da Saúde 2019 decorre a 18 de junho

 A edição de 2019 da Convenção Nacional de Saúde (CNS) vai ter lugar no próximo dia 18 de junho, no...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.