CHLC inicia projeto de hospitalização domiciliária

por Teresa Mendes | 02.05.2019

Até ao final do ano está previsto atingir as 15 camas
O Centro Hospitalar de Lisboa Central (CHLC) inicia este mês de maio o projeto de hospitalização domiciliária.

Até ao final do ano está previsto atingir as 15 camas, contando com o apoio médico e de enfermagem em permanência.

Num comunicado divulgado esta terça-feira, é salientado que esta é uma iniciativa no âmbito do processo de modernização e valorização do CHULC, informando aquele centro hospitalar que «a Unidade de Hospitalização Domiciliária iniciará a sua atividade nos primeiros dias de maio».

Segundo a nota à Imprensa, a unidade disponibiliza «apoio médico e de enfermagem em permanência» e atua, sobretudo, em situações de fase aguda de uma doença ou sobre a agudização da doença crónica no domicílio dos doentes, contando para o efeito com uma equipa de três médicos, quatro enfermeiros e dois assistentes operacionais.

O Centro Hospitalar de Lisboa Central inicia este mês de maio o projeto de hospitalização domiciliária. Até ao final do ano está previsto atingir as 15 camas, contando com o apoio médico e de enfermagem em permanência

O projeto arranca com cinco camas domiciliárias, prevendo o CHLC que chegue às «15 camas até ao final do ano».

A referenciação dos doentes para hospitalização domiciliária será efetuada a partir dos serviços de Urgência Geral Polivalente ou das unidades de internamento do CHULC ou por referenciação do Aces Lisboa Central, tendo por base critérios clínicos e sociais. 

A admissão no internamento domiciliário estará sempre dependente do acordo do doente e da família e está integrada no processo de planeamento de cuidados que contempla a transição entre os diferentes níveis de prestação, esclarece o CHLC.

«A reorganização dos serviços hospitalares baseada num maior envolvimento dos doentes, das suas famílias e dos profissionais de saúde», bem como «a redução do risco de infeções hospitalares, a promoção da autonomia dos doentes, a recuperação mais célere e o aumento da satisfação dos doentes e profissionais», são os grandes objetivos que se pretendem alcançar com esta iniciativa.

Para a presidente do conselho de administração do CHULC, Rosa Valente de Matos, citada no comunicado, o que mais importa é que «o doente, no conforto da sua casa, vê o processo de recuperação acelerado pela proximidade de um ambiente familiar e mais humanizado».

19tm18j
02 de Maio de 2019
1918Pub5f19tm18j

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 23.08.2019

Definido o perfil dos alimentos e bebidas com publicidade restrita

O perfil nutricional dos alimentos e bebidas que passam a ter restrições à publicidade a menores de...

por Teresa Mendes | 23.08.2019

16.º Encontro Nacional de Atualização em Infeciologia

A Associação de Apoio às Reuniões de Infeciologia (AARI) vai realizar a 16.ª edição do Encontro Naci...

por Teresa Mendes | 22.08.2019

3.ª edição do workshop «O doente no centro da imunoterapia»

 A MSD realiza, no próximo dia 12 de outubro, na Sala Tejo do Altice Arena, em Lisboa, a 3.ª edição...

por Teresa Mendes | 22.08.2019

«A Idade do Amanhã – Desafios Éticos da Longevidade»

«A Idade do Amanhã – Desafios Éticos da Longevidade» O Conselho Nacional de Ética para as Ciências d...

por Teresa Mendes | 22.08.2019

 USF Extramuros inaugurada

Foi inaugurada, esta quinta-feira, a Unidade de Saúde Familiar (USF) Extramuros, em S. João da Talha...

21.08.2019

Ministra da Saúde defende reorganização das maternidades no país

 A ministra da Saúde defendeu, esta terça-feira, uma reorganização das maternidades do País, reconhe...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.