CHULN recupera capacidade de formar pneumologistas

10.05.2019

Carlos Martins diz que é «uma fantástica notícia»
 A Ordem dos Médicos (OM) devolveu o estatuto de formador da especialidade de Pneumologia aos hospitais de Santa Maria e de Pulido Valente (Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte – CHULN), após há um ano lhe ter sido retirada a formação nesta área. 

De acordo com uma carta enviada ao CHULN, a que a Lusa teve acesso, a OM dá «apreciação favorável ao restabelecimento do processo normal da formação da especialidade» de Pneumologia.

O mesmo documento diz que o processo de abertura de vagas para o internato de Pneumologia deve ser retomado, segundo as capacidades que ainda têm de ser definidas pelo colégio desta especialidade.

Recorde-se que o CHULN tinha perdido a capacidade formativa em Pneumologia para 2019, segundo o mapa de vagas de acesso à especialidade divulgado em meados de 2018, uma situação que foi inédita naquele centro, considerado a maior escola de Pneumologia de Portugal.

A perda de capacidade formativa deu-se na sequência de denúncias relativas a situações irregulares, como o caso de internos que estariam a fazer urgência sozinhos, sem tutela de um especialista.

A Ordem dos Médicos devolveu o estatuto de formador da especialidade de Pneumologia aos hospitais de Santa Maria e de Pulido Valente (CHLN), após há um ano lhe ter sido retirada a formação nesta área

Na carta enviada à administração do centro hospitalar, a OM entende que «foram resolvidas as questões relacionadas com o internato por parte do CHULN».

Contactado pela agência Lusa, o presidente da administração do CHULN, Carlos Martins, reagiu com entusiasmo à reposição da capacidade formativa na área da Pneumologia, considerando-a uma «fantástica notícia».

«Coloca-nos de novo a ter responsabilidades integrais na formação de especialistas de Pneumologia, honrando a história de décadas de sucesso do Hospital de Pulido Valente e a tradição universitária do Hospital de Santa Maria, ou seja, o trabalho de gerações de profissionais», disse Carlos Martins à Lusa.

19tm19t
10 de Maio de 2019
1919Pub6f19tm19t

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Executivo abre 1129 vagas para as áreas de MGF, hospitalar e de Saúde Públ...

O Governo cumpriu o prazo de 30 dias para a abertura de concursos após a fixação da lista de classif...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Semana Europeia do Teste da Primavera decorre até 24 de maio

Começa hoje e decorre até 24 de maio, a Semana Europeia do Teste Primavera 2019, organizada pela HIV...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

Acordo entre FMUL e Fundação Champalimaud reforça laços existentes

O diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, Fausto Pinto, e a presidente da Fundaç...

por Teresa Mendes | 17.05.2019

 Daniel Ferro nomeado presidente do CHULN

O ex-presidente da administração do Hospital Garcia de Orta, Daniel Ferro, vai liderar o conselho de...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 É ilegal recusar tratar doentes que não autorizam o tratamento de dados pe...

A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) considerou ilegal a recusa de prestação de cuidados...

por Teresa Mendes | 16.05.2019

 Convenção Nacional da Saúde 2019 decorre a 18 de junho

 A edição de 2019 da Convenção Nacional de Saúde (CNS) vai ter lugar no próximo dia 18 de junho, no...

15.05.2019

Tempos de espera para cirurgias mais do que duplicaram

Quase 40% das consultas hospitalares a pedido dos cuidados de saúde primários (CSP) não foram realiz...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.