Nova carreira estabelece quota máxima de 25% de enfermeiros especialistas

por Teresa Mendes | 28.05.2019

Ordem dos Enfermeiros já pediu audiência urgente na AR
A Ordem dos Enfermeiros (OE) pediu uma audiência com carácter de urgência a todos os grupos com assento parlamentar e a Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros quer ser ouvida pela ministra Marta Temido.

Em causa a publicação da nova carreira de enfermagem, que estabelece limites para a progressão a especialista e não abrange todos os trabalhadores.

«O número total de postos de trabalho correspondentes à categoria de enfermeiro especialista não deve ser superior a 25% do total de enfermeiros de que o serviço ou estabelecimento careça para o desenvolvimento das respetivas atividades», lê-se no diploma que vem alterar a carreira dos enfermeiros, publicado ontem no Diário da República.

Num comunicado, a OE diz ter sido surpreendida pelo facto de o documento publicado não contemplar nenhuma das sugestões de regulação que a Ordem enviou.

«Ao não ter ouvido a OE relativamente às questões de legislação, a Sra. Ministra da Saúde põe em causa o funcionamento de vários serviços e instituições do país, nomeadamente as maternidades, centros de reabilitação, hospitais pediátricos, onde o número de enfermeiros especialistas é, e tem de ser superior a 50%, com a nova carreira a prever apenas 25%.

Na prática, numa maternidade com 10 enfermeiros, apenas dois são especialistas, o que irá obrigar ao encerramento de vários serviços», alerta a nota à Imprensa, que conclui dizendo que a Ordem já solicitou audiências de carácter urgente a todos os grupos com assento parlamentar.

A Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) também já fez contas e denuncia que «cerca de dez mil enfermeiros especialistas são reconhecidos e mais de mil vão continuar a ser pagos apenas pela formação generalista». 

«A ministra prometeu que seria publicada uma adenda ao diploma e não cumpriu. Falta justiça nesta transição, porque vamos ter enfermeiros a trabalhar lado a lado com uns reconhecidos como especialistas e outros não», alega aquela Associação num comunicado, anunciando que que vai pedir uma reunião urgente a Marta Temido.
Entretanto, o Ministério da Saúde já veio reconhecer que nem todos os enfermeiros especialistas foram considerados, mas garante que vai tentar avançar com outro procedimento para não deixar nenhum profissional excluído. 

A Ordem dos Enfermeiros pediu uma audiência com carácter de urgência a todos os grupos com assento parlamentar e a Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros quer ser ouvida pela ministra Marta Temido. Em causa a publicação da nova carreira de enfermagem, que estabelece limites para a progressão a especialista e não abrange todos os trabalhadores 

Ao Expresso, o gabinete da ministra detalha que «foram identificados 9436 postos de trabalho, no entanto alguns serviços informaram posteriormente que não tinham sido consideradas todas as situações de enfermeiros especialistas que exerciam as funções correspondentes, tendo sido então assumido que ao número acima identificado poderiam acrescer cerca de 600 postos de trabalho». 

19tm22h
28 de Maio de 2019
1922Pub3f19tm22h

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Apifarma celebra 80 anos com a presença da ministra da Saúde

As associações Alzheimer Portugal, de Apoio aos Traumatizados Crânio-Encefálicos e Suas Famílias, de...

15.11.2019

Existem enormes disparidades na disponibilização dos fármacos inovadores

Há hospitais portugueses que chegam a demorar até quatro meses a disponibilizar medicamentos inovado...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Lítio pode reverter os danos da radiação após o tratamento de tumores cere...

É sabido que as crianças que receberam radioterapia para um tumor cerebral podem vir a desenvolver p...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

«Esperança» é a protagonista da nova campanha da Pulmonale

O cancro do pulmão é um dos tumores malignos que mais mata. Contudo, é também um dos que mais tem be...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

«A maior urgência do país não pode fechar», diz bastonário

Após uma visita esta quarta-feira ao hospital de Santa Maria, o bastonário da Ordem dos Médicos (OM)...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

Infarmed alarga leque de fármacos com limitações à exportação

O Infarmed atualizou esta quarta-feira a lista de medicamentos abrangidos pela notificação prévia de...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

 Portugal tem mais de 600 novos casos de diabetes por cada 100 mil habitant...

 Nos últimos três anos (2016 a 2018) continuou a verificar-se «um número muito elevado de novos caso...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

 DGS cria Task-Force para as Infeções Sexualmente Transmissíveis (IST)

A Direção-Geral da Saúde (DGS) constituiu uma Task-Force para as Infeções Sexualmente Transmissíveis...

por Teresa Mendes | 13.11.2019

Centro Hospitalar de Leiria dispõe de um novo Serviço de Reumatologia

O Centro Hospitalar de Leiria (CHL) dispõe de um novo Serviço de Reumatologia, que visa a prestação...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.