IPO Lisboa apela à dádiva de sangue

por Teresa Mendes | 14.06.2019

Serviço de Imunohemoterapia inaugura oficialmente as novas instalações
No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, que se celebra esta sexta-feira, dia 14 de junho, o Serviço de Imunohemoterapia do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa inaugurou oficialmente as novas instalações, numa cerimónia de homenagem aos dadores regulares do Instituto e de apelo à dádiva aos mais jovens.

No novo espaço, que está em funcionamento desde março de 2019, no piso 2, do Pavilhão de Rádio, concentram-se todas as valências do Serviço: Banco de Sangue, Laboratório de Imunohematologia, Hospital de Dia de Transfusão e Unidade de Dadores de Sangue.
As obras efetuadas representaram um investimento de cerca de 700 mil euros.

«A ampliação e requalificação das instalações do Serviço de Imunohemoterapia insere-se num plano integrado de melhoria e continuidade do IPO, que visa melhorar as condições de prestação de cuidados para os doentes e profissionais e responder ao crescente aumento da procura de cuidados em oncologia», sublinha Sandra Gaspar, vogal executiva do conselho de administração num comunicado.

«No Dia Mundial do Dador de Sangue queremos realçar a importância da doação de sangue e de componentes na nossa Instituição, com o objetivo ultrapassar as 20 doações por dia.

No âmbito do Dia Mundial do Dador de Sangue, que se celebra esta sexta-feira, dia 14 de junho, o Serviço de Imunohemoterapia do IPO de Lisboa inaugurou oficialmente as novas instalações, numa cerimónia de homenagem aos dadores regulares do Instituto e de apelo à dádiva aos mais jovens

Queremos aumentar o número de dadores e de dádivas para podermos fazer face às necessidades crescentes: cerca de 1.700 doentes, 9 mil concentrados de eritrócitos e entre 15 a 20 mil concentrados de plaquetas», explica Dialina Brilhante, diretora do Serviço de Imunohemoterapia na mesma nota à Imprensa.

Para a médica, a mensagem do IPO Lisboa é clara: «Queremos continuar a contar com os dadores regulares e lembrar os mais jovens que a dádiva de sangue ou de componentes é um dever de cidadania e um gesto de generosidade e de solidariedade que permite salvar vidas».

Em 2018, o IPO Lisboa registou 4.120 dádivas, das quais 500 foram componentes plaquetários por aférese. O número total de dadores inscritos foi de 4.527 sendo que, daqueles, 1.150 são novos dadores.

O horário para a dádiva de sangue é de segunda a sexta-feira, entre as 9 e as 16 horas, e ao sábado, das 9 às 11 horas, existindo estacionamento reservado e gratuito para os dadores.

19tm24L
14 de Junho de 2019
1924Pub6f19tm24L

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 21.02.2020

Mais de 13 mil médicos estão registados na PEM Móvel

No dia em que se assinala o primeiro ano de existência da Aplicação de Prescrição Eletrónica Médica...

por Teresa Mendes | 21.02.2020

 CHULC promove 5.º Curso Clínico de Autoimunidade

A Unidade de Doenças Autoimunes do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC) vai rea...

por Teresa Mendes | 21.02.2020

 Parlamento aprova despenalização da eutanásia

O Parlamento aprovou esta quinta-feira na generalidade os cinco projetos para despenalização da mort...

20.02.2020

Falta de médicos é «problema antigo», diz diretor clínico do HSM

O diretor clínico do Hospital de Santa Maria (HSM), Luís Pinheiro, disse esta quarta-feira aos deput...

por Teresa Mendes | 20.02.2020

Médicos defendem o fim da tortura e negligência médica a Julian Assange

Numa carta publicada no início desta semana na revista The Lancet, um grupo de médicos de 18 países...

por Teresa Mendes | 20.02.2020

 «Farmacovigilância – partilha de responsabilidade»

 No próximo dia 5 de março, o Infarmed promove uma sessão de Manhãs Informativas dedicada ao tema «F...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.