Texto da nova Lei de Bases da Saúde fica sem referências às PPP

19.06.2019

Lei anterior também não refere as parcerias público-privadas 
O grupo de trabalho que discute a nova Lei de Bases da Saúde no Parlamento chumbou esta terça-feira todas as propostas relativas às parcerias público-privadas (PPP). Em termos práticos, o texto final não vai contar com nenhuma referência às PPP no setor, permitindo-as por omissão.

Recorde-se que a Lei de Bases de 1990, que está atualmente em vigor, também nada diz sobre as PPP, contudo esse facto nunca impediu a sua existência, pois em 2002, o governo de Durão Barroso publicou um decreto que as veio regular.

Tanto o Bloco de Esquerda, como o PCP, queriam acabar com este decreto de forma imediata, o que implicaria a não renovação das atuais PPP e a criação de novas.
O PS também queria revogar este decreto, mas apenas quando houvesse um novo regime jurídico que regulasse as PPP (ou seja, mantinha a existência de PPP). Resultado: também aqui não houve acordo e a revogação do decreto de Durão Barroso foi chumbada.

O grupo de trabalho que discute a nova Lei de Bases da Saúde no Parlamento chumbou esta terça-feira todas as propostas relativas às parcerias público-privadas (PPP). Em termos práticos, o texto final não vai contar com nenhuma referência às PPP no setor, permitindo-as por omissão

Logo, apesar de terem ficado omissas quaisquer referências às PPP na lei de bases, ao manter-se o decreto de 2002, do Governo de Durão Barroso, a gestão privada de hospitais públicos continua a ser possível.

Estas votações ainda terão de ser confirmadas na Comissão Parlamentar de Saúde (previsivelmente a 2 de julho) e só depois sobem ao plenário para que o hemiciclo vote a redação final da proposta.

A confirmarem-se estas votações na especialidade, esse texto final não vai contar com qualquer referência às PPP.

19tm25L
19 de Junho de 2019
1925Pub4f19tm25L

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 Profissionais estão a «deixar de acreditar nesta forma única de organizaçã...

Prestes a iniciar o quarto trimestre de 2019, altura em que deveria estar a ser realizada a transiçã...

16.09.2019

 «Queremos que o hospital saia de portas»

O Governo quer alargar a hospitalização domiciliária a todos os hospitais do Serviço Nacional de Saú...

16.09.2019

Bastonária da OE chama Miguel Guimarães para ser ouvido no caso da sindicân...

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros (OE), Ana Rita Cavaco, quer incluir, como testemunhas, o ex-mi...

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 1.ª Edição Hot Topics em Hepatologia

Vai decorrer, no dia 11 de outubro, na Ordem dos Médicos, em Vila Real, a 1.ª edição dos Hot Topics...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

Pela primeira vez em seis meses, a dívida à Indústria Farmacêutica diminuiu

Pela primeira vez em seis meses, o valor da dívida dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS)...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

Ordem celebra 80 anos com coleção de fac-similadas de autores médicos

 A Ordem dos Médicos (OM) convida todos os profissionais a vir conhecer, na próxima segunda-feira, d...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

 Literacia em Saúde: DGS lança Manual para capacitação dos profissionais

No âmbito do Plano de Ação para a Literacia em Saúde 2019/2012, a Direção-Geral da Saúde (DGS) lanço...

por Teresa Mendes | 13.09.2019

 Demitem-se dez chefes de equipa de urgência do Hospital Garcia de Orta

Demitiram-se dez chefes de equipa de urgência do Hospital Garcia de Orta, em Almada, segundo a Socie...

por Teresa Mendes | 12.09.2019

 SPP recomenda aos médicos que reportem os casos suspeitos em Portugal

A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) recomenda aos médicos que passem a comunicar os casos de...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.