Canábis continua a ser a droga ilícita mais consumida na Europa

por Teresa Mendes | 27.06.2019

Dia contra o Abuso e Tráfico de Drogas 
«Há cada vez mais e mais diversificados produtos de canábis na Europa e é essencial que seja acompanhada de perto a sua potência e os potenciais efeitos para a saúde.» A conclusão é do novo relatório publicado esta quarta-feira pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA), no âmbito do Dia Internacional Contra o Abuso e o Tráfico Ilícito de Drogas, assinalado a 26 de junho.

O relatório — Desenvolvimentos no mercado europeu da canábis — apresenta uma panorâmica dos produtos de canábis emergentes e tradicionais na Europa e identifica uma série de fatores por detrás da atual diversidade de produtos de canábis, incluindo desenvolvimentos nas políticas, avanços nas técnicas de produção e extração, e mudanças nas preferências dos consumidores. 

«A criação de mercados legais de canábis recreativa fora da UE é também apontada como impulsionadora da inovação no desenvolvimento de novos produtos de canábis, alguns dos quais estão agora a aparecer no mercado europeu», destaca um comunicado da Agência da União Europeia de Informação sobre Droga.

Segundo o diretor do Observatório, Alexis Goosdeel, citado na nota à Imprensa, «a natureza dinâmica do atual mercado de canábis e a diversificação dos produtos de canábis disponíveis trazem desafios consideráveis», considerando que «produtos de canábis novos e mais potentes podem ter sérias consequências para a saúde pública dos consumidores».

«Há cada vez mais e mais diversificados produtos de canábis na Europa e é essencial que seja acompanhada de perto a sua potência e os potenciais efeitos para a saúde.» A conclusão é do novo relatório do Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (EMCDDA)

De acordo com o documento, a canábis continua a ser a droga ilícita mais consumida na Europa. 

Estima-se que cerca de 17,5 milhões de jovens europeus (15–34 anos) tenham consumido canábis no último ano (UE-28). Estima-se também que cerca de 1% dos adultos (15–64 anos) na UE consumam canábis diariamente ou quase diariamente. 

Em 2017, cerca de 155 000 pessoas iniciaram na Europa tratamento devido a problemas relacionados com o consumo desta droga, das quais cerca de 83 000 iniciaram tratamento pela primeira vez. 

Atualmente, a canábis é a substância indicada com mais frequência pelos novos utentes dos serviços especializados de tratamento da toxicodependência como o principal motivo para procurarem ajuda.

O relatório pode ser lido na íntegra, aqui.

19tm26p
27 de Junho de 2019
1926Pub5f19tm26p

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 19.02.2020

 Todos os países do mundo estão a falhar proteção da saúde das crianças

Não há nenhum país do mundo que esteja a proteger de forma adequada a saúde das crianças, o seu ambi...

por Teresa Mendes | 19.02.2020

Eutanásia: CNEVC contra os projetos de lei de do BE, PS, PEV e PAN

Na véspera do debate sobre a eutanásia no Parlamento, o Conselho Nacional de Ética para as Ciências...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

«Governo menospreza a negociação com os sindicatos médicos»

Os sindicatos médicos saíram esta segunda-feira desiludidos da primeira reunião negocial com a tutel...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

 Eutanásia «viola a relação médico-doente», reafirma Miguel Guimarães

A Ordem dos Médicos (OM) voltou esta segunda-feira a manifestar-se contra a prática da eutanásia, ar...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

Criada comissão para elaborar proposta para uma Lei da Saúde Pública

O Ministério da Saúde criou uma Comissão para elaborar uma proposta de Reforma da Saúde Pública e Su...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

USF da Alta de Lisboa e Alto dos Moinhos concluídas dentro de ano e meio

A ministra da Saúde lançou esta segunda-feira a primeira pedra das novas unidades de saúde familiar...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

 Generalização do modelo USF? Sim, mas mantendo os critérios diferenciadore...

A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) diz-se satisfeita com a intenção do pr...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

 Utilização de medicamentos para o controlo da diabetes aumentou 44%

A utilização de medicamentos para o controlo da diabetes aumentou 44% entre 2009 e 2018. O consumo c...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

1.º Congresso Internacional de Cuidados Continuados e Paliativos 

  O Centro de Estudos e Desenvolvimento de Cuidados Continuados e Paliativos (CEDCCP) da Faculdade d...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.