Projeto de Apoio Domiciliário à Demência vence Prémio Maria José Nogueira Pinto

por Teresa Mendes | 05.07.2019

Programa quer investir na geolocalização e adiar a institucionalização
O Projeto de Apoio Domiciliário à Demência (PADD) da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro é o grande vencedor da 7.ª edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto em Responsabilidade Social, tendo como objetivo o diagnóstico, acompanhamento e monitorização dos vários casos de demência sinalizados na região para adiar a institucionalização dos doentes e investir num programa de geolocalização.

Para ajudar a controlar o elevado número de casos registados no município de Mogadouro, em Bragança, a Santa Casa da Misericórdia lançou o PADD «como uma resposta preventiva à institucionalização, garantindo apoio ao domicílio para doentes e cuidadores.

O projeto é gratuito para os utentes, que contam com o apoio de uma equipa multidisciplinar para implementar um conjunto de atividades que garantem a saúde e bem-estar do doente, e prestar cuidados médicos especializados para acompanhar a evolução do seu estado clínico», informa um comunicado da organização do Prémio Maria José Nogueira Pinto, em Responsabilidade Social, que tem um valor de 10 mil euros.

O Projeto de Apoio Domiciliário à Demência (PADD) da Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro é o grande vencedor da 7.ª edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto em Responsabilidade Social 

A Santa Casa da Misericórdia de Mogadouro pretende agora usar o prémio «apostando em dispositivos inovadores de geolocalização para pessoas com demência».

«O recurso a esta tecnologia permite oferecer independência, autonomia e segurança aos doentes, reduzindo o risco de fuga e de desaparecimento associados a períodos de confusão mental e comprometimento cognitivo, característicos da doença», explica a nota à Imprensa.

Riqueza do sistema nacional de saúde está nas suas várias componentes, diz Marcelo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, presente na cerimónia de entrega do galardão, esta quinta-feira no Teatro Thalia, em Lisboa, elogiou a Merck Sharp & Dohme (MSD)«por reconhecer a responsabilidade social» com este prémio, sublinhando que «sobretudo neste tempo, a riqueza do nosso sistema nacional de saúde, que é um sistema que é feito de várias componentes, uma componente pública, sem dúvida, mas também uma componente privada e uma componente social».

19tm27r
05 de Julho de 2019
1927Pub6f19tm27r

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 EPE estavam em falência técnica no ano passado

Em 2018, metade dos hospitais EPE do país encontrava-se em falência técnica, segundo uma análise do...

06.12.2019

Chefes de cirurgia de Faro recusam fazer urgências a partir de 1 de janeiro

A partir de 1 de janeiro de 2020, os chefes de equipa de Cirurgia do Hospital de Faro vão deixar de...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

 Sarampo matou mais de 140 mil pessoas no mundo em 2018

Em 2018, o sarampo foi responsável pela morte de mais de 140.000 pessoas, segundo novas estimativas...

por Teresa Mendes | 06.12.2019

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros»

«Não existem cigarros eletrónicos nem produtos de tabaco seguros, nomeadamente tabaco aquecido. Apre...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

ADSE passa a ser tutelada pelo Ministério da Administração Pública

A ADSE já não é da tutela do Ministério da Saúde. Segundo o regime da organização e funcionamento do...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

 Reduzir o colesterol mais cedo pode diminuir risco cardiovascular mais tar...

Reduzir os níveis de colesterol com medicamentos em pessoas com menos de 45 anos pode reduzir o risc...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.