Foram aprovados mais do dobro de medicamentos inovadores no primeiro semestre

por Teresa Mendes | 12.07.2019

Infarmed responde às críticas do Relatório da Primavera 2019 
O Infarmed informou, esta quinta-feira, que no primeiro semestre de 2019 foram «concluídos 61 processos de medicamentos inovadores, novas substâncias ou novas indicações, das quais 37 tiveram aprovação para utilização e financiamento do SNS», o que representa «mais do dobro dos processos concluídos em período homólogo do ano passado».

Esta posição da Autoridade Nacional do Medicamento surge na sequência da divulgação do Relatório de Primavera 2019, do Observatório Português dos Sistemas de Saúde, que adverte para o facto de Portugal ser dos países europeus em que os doentes demoram mais tempo a ter acesso a medicamentos inovadores, com a média de espera a ser cinco vezes superior à Alemanha, país com melhores resultados.

O relatório recomenda igualmente mais transparência na fixação dos preços dos medicamentos e sugere que o Infarmed passe a ser uma entidade reguladora independente, deixando para os governos a decisão final sobre preços e comparticipações.

O Infarmed informou que no primeiro semestre de 2019 foram «concluídos 61 processos de medicamentos inovadores, novas substâncias ou novas indicações, das quais 37 tiveram aprovação para utilização e financiamento do SNS», o que representa «mais do dobro dos processos concluídos em período homólogo do ano passado» 

Num comunicado, a Autoridade Nacional do Medicamento sublinha que «os processos submetidos após 7 de setembro de 2017, data em que ocorreu uma alteração legislativa do Sinats (Sistema Nacional de Avaliação de Tecnologias de Saúde), incluindo nos prazos de avaliação, tiveram um prazo de conclusão médio de 221 dias, uma redução face ao ano anterior», lembrando que «enquanto decorre o período de avaliação, é possível aceder aos medicamentos através de autorizações excecionais (AUE)».

Aquele organismo destaca igualmente que «no primeiro semestre de 2019 foram concedidas mais de mil AUE, com tempo médio de decisão pelo Infarmed de nove dias úteis», lê-se na nota à Imprensa.

«Num contexto de importantes desenvolvimentos clínicos que introduzem desafios ao sistema de saúde, o acesso a novos medicamentos no Serviço Nacional de Saúde aumentou de modo significativo nos últimos três anos», diz ainda o Infarmed, informando que o financiamento dos novos medicamentos ocorreu em particular na área da Oncologia, Cardiologia e Infecciologia.

19tm28r
12 de Julho de 2019
1928Pub6f19tm28r

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 05.12.2019

 Médicos de Medicina Interna são insuficientes para manter o SU dos HUC

Vinte médicos especialistas em Medicina Interna enviaram declaração de responsabilidade à Ordem dos...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

Curso de Medicina na Católica chumbado pela Agência de Acreditação

A Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES) chumbou a abertura de um curso de Med...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

ADSE passa a ser tutelada pelo Ministério da Administração Pública

A ADSE já não é da tutela do Ministério da Saúde. Segundo o regime da organização e funcionamento do...

por Teresa Mendes | 05.12.2019

 Reduzir o colesterol mais cedo pode diminuir risco cardiovascular mais tar...

Reduzir os níveis de colesterol com medicamentos em pessoas com menos de 45 anos pode reduzir o risc...

por Teresa Mendes | 04.12.2019

Esperança de vida em Portugal é maior do que na média dos países da EU

A esperança de vida em Portugal «aumentou substancialmente na última década», nomeadamente com a red...

por Teresa Mendes | 04.12.2019

Ministra inaugurou centro de saúde em Ventosa, Torres Vedras

A ministra da Saúde, Marta Temido, inaugurou esta terça-feira, o centro de saúde de São Mamede da Ve...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.