Médicos têm nova norma sobre diagnóstico e prevenção da carência de vitamina D

por Teresa Mendes | 17.08.2019

Apresentados novos valores de referência «credíveis e consensuais»
 A Direção-Geral da Saúde (DGS) e a Ordem dos Médicos (OM) elaboraram uma nova norma sobre as boas práticas clínicas na prevenção e tratamento da deficiência de vitamina D, na sequência do aumento do uso de suplementos contendo esta vitamina.

A norma, dirigida a todos os médicos, e publicada esta quarta-feira no site da DGS, surgiu na sequência de um aumento na utilização de medicamentos contendo vitamina D, em 2017 e 2018, tendo sido realizada uma avaliação prévia do diagnóstico e tratamento do défice de vitamina D, em Portugal, por parte da Direção-Geral da Saúde (DGS), do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (Insa) e do Infarmed.

Segundo um comunicado conjunto, o Infarmed «avaliou a documentação técnica dos testes laboratoriais disponíveis em Portugal para determinação dos níveis de vitamina D no sangue, tendo-se verificado que quase 90% das análises realizadas em Portugal, num universo de mais de setecentas mil, foram efetuadas com métodos certificados, cumprindo as recomendações internacionais».

Contudo, destaca a nota à Imprensa, «a existência de discrepâncias de valores, encontradas em estudos diferentes com recurso às mesmas amostras de sangue, exigiu a definição de novos valores de referência, credíveis e consensuais entre a comunidade científica».

A norma vem definir as práticas preventivas e terapêuticas para a deficiência de vitamina D em crianças e adultos, apresentando novos valores de referência para os níveis da vitamina no sangue, «credíveis e consensuais entre a comunidade científica» 

No âmbito desta intervenção, o Infarmed analisou, ainda, as práticas promocionais por parte das empresas farmacêuticas, «tendo instaurado processos de contraordenação relativos a publicidade ilegal a medicamentos sujeitos a receita médica, contendo vitamina D», avança o comunicado.

A norma agora divulgada vem então definir as práticas preventivas e terapêuticas para a deficiência de vitamina D em crianças e adultos, apresentando novos valores de referência para os níveis da vitamina no sangue, «credíveis e consensuais entre a comunidade científica».

Segundo a DGS e a OM, «apesar de existir alguma evidência de que baixas concentrações séricas de Vitamina D se podem relacionar com várias doenças, não existe ao momento atual evidência do efeito benéfico da sua correção sobre os diferentes outcomes, pelo que não se podem fazer recomendações gerais sobre a suplementação ou rastreio da deficiência de Vitamina D». 

A norma pode ser consultada aqui.

Em paralelo, o Insa e o Infarmed propõem-se realizar um estudo epidemiológico para «caracterizar a prevalência da deficiência da vitamina D na população portuguesa».

19tm33n
16 de Agosto de 2019
1933Pub5f19tm33n

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 14.02.2020

Trabalho nas juntas médicas pode comprometer resposta ao coronavírus

Ordem dos Médicos, sindicatos e Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública estão preocupados c...

14.02.2020

Exportações em Saúde atingem um máximo histórico de 1,5 mil milhões de euro...

As exportações portuguesas em Saúde atingiram um novo recorde de cerca de 1,5 mil milhões de euros,...

por Teresa Mendes | 14.02.2020

 Governo aprova nova PPP no Hospital de Cascais

O Bloco de Esquerda (BE) considera que a decisão do Governo de avançar para uma nova parceria públic...

por Teresa Mendes | 14.02.2020

 Gabinete de segurança para profissionais de saúde coordenado por oficial d...

Foi publicado esta quinta-feira o despacho que cria o Gabinete de Segurança para a Prevenção e o Com...

por Teresa Mendes | 13.02.2020

 VIII Congresso Científico ANL debate preocupações da Medicina Laboratorial

Vai decorrer, nos dias 29 e 30 de maio, no Centro de Congresso de S. Rafael, no Algarve, o VIII Cong...

por Teresa Mendes | 13.02.2020

 Enfarte do miocárdio atinge 15 mil portugueses todos os anos

Nas vésperas do Dia Nacional do Doente Coronário, que se assinala a 14 de fevereiro, a Sociedade Por...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.