Hospital de Évora diminui lista de espera para cirurgia em 15%

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 19.08.2019

Unidade hospitalar divulga balanço do primeiro semestre de 2019
O Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) diminuiu em 15% o número de doentes em lista de espera para cirurgia, graças ao aumento das intervenções programadas no primeiro semestre do ano, divulgou esta sexta-feira aquela unidade hospitalar.

Além disso, e de acordo com os resultados do balanço da atividade assistencial do HESE relativo ao primeiro semestre de 2019, «registou-se um aumento de 35% nas intervenções cirúrgicas programadas e 12% nas primeiras consultas registadas no CTH (Consulta a Tempo e Horas), face ao período homólogo de 2018». Houve ainda «uma diminuição de 5% da demora média dos doentes internados e 31% de aumento das sessões de hospital de dia».

Maria Filomena Mendes, presidente do conselho de administração realça, numa nota à Imprensa, que o balanço deste primeiro semestre do ano «é francamente positivo graças ao empenho de todas as equipas e dos respetivos diretores de serviço, que com grande esforço conseguiram alcançar estes resultados». 

O Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE) diminuiu em 15% o número de doentes em lista de espera para cirurgia, graças ao aumento das intervenções programadas no primeiro semestre do ano, divulgou esta sexta-feira aquela unidade hospitalar

A atividade assistencial de 2019, até à data, «reflete o aumento da qualidade da prestação de cuidados do HESE e a melhoria da nossa capacidade de resposta à população, graças à dedicação dos profissionais do HESE», sublinha a dirigente.

Segundo os dados divulgados pela unidade hospitalar, nos primeiros seis meses deste ano, foram realizadas 9191 cirurgias programadas no HESE, mais 2112 do que no mesmo período do ano passado, quando tinham sido feitas 7079 intervenções.

Atualmente, o HESE tem uma diminuição do número de doentes em lista de espera (-15%). Neste primeiro semestre, foi notória a diminuição de inscritos em lista de espera nas seguintes especialidades: Ginecologia (44%), Ortopedia (29%), Cirurgia Geral (27%) e Oftalmologia (20%).

E registou-se ainda uma redução do tempo de espera de 29%, ou seja, em 2018, no mesmo período, metade dos doentes em espera foram atendidos, em média, até aos 4,2 meses, enquanto, este ano, metade foram atendidos em menos de 3 meses.

Relativamente aos inscritos em cirurgia em espera há mais de um ano reduziram 19%, face ao período homólogo. Como exemplo, a cirurgia da obesidade registou uma diminuição de 62%.

As especialidades que registam, neste período, um maior número de intervenções cirúrgicas realizadas são a Oftalmologia (1718), Cirurgia Geral (1452) e a Ortopedia (704), neste primeiro semestre, informa ainda o comunicado.

Segundo Maria Filomena Mendes «este balanço do primeiro semestre reflete também que os níveis de confiança dos utentes deste Hospital aumentaram, uma vez que se regista um aumento da procura dos doentes cada vez mais acentuada, em virtude da melhor capacidade de resposta» e reforça que «até ao fim de 2019, constituem objetivos do HESE, manter os atuais níveis assistenciais, reduzir as listas de espera de cirurgia e de consultas, melhorar a proporção de Utentes atendidos dentro dos TMRG e progressivamente eliminar as listas de espera com mais de um ano».

19tm34b
19 de Agosto de 2019
1934Pub2f19tm34b

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.11.2019

 Cuidados continuados com melhor resposta em 2018

Em 2018 registou-se um reforço no número de lugares de internamento nos cuidados continuados, com um...

por Teresa Mendes | 18.11.2019

 Luís Filipe Macedo é o novo diretor do Programa para as Doenças Cérebro-ca...

Luís Filipe Macedo, assistente hospitalar graduado sénior em Cardiologia do Centro Hospitalar Univer...

por Teresa Mendes | 18.11.2019

 Entregues galardões das 63.ª edição dos Prémios Pfizer

Os avanços nas áreas do autismo e do cancro da mama foram distinguidos na 63.ª edição dos Prémios Pf...

15.11.2019

Existem enormes disparidades na disponibilização dos fármacos inovadores

Há hospitais portugueses que chegam a demorar até quatro meses a disponibilizar medicamentos inovado...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Lítio pode reverter os danos da radiação após o tratamento de tumores cere...

É sabido que as crianças que receberam radioterapia para um tumor cerebral podem vir a desenvolver p...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Apifarma celebra 80 anos com a presença da ministra da Saúde

As associações Alzheimer Portugal, de Apoio aos Traumatizados Crânio-Encefálicos e Suas Famílias, de...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

«A maior urgência do país não pode fechar», diz bastonário

Após uma visita esta quarta-feira ao hospital de Santa Maria, o bastonário da Ordem dos Médicos (OM)...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

Infarmed alarga leque de fármacos com limitações à exportação

O Infarmed atualizou esta quarta-feira a lista de medicamentos abrangidos pela notificação prévia de...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

 Portugal tem mais de 600 novos casos de diabetes por cada 100 mil habitant...

 Nos últimos três anos (2016 a 2018) continuou a verificar-se «um número muito elevado de novos caso...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.