Ministra da Saúde defende reorganização das maternidades no país

21.08.2019

Está a ser revista a rede de saúde materna e obstétrica
 A ministra da Saúde defendeu, esta terça-feira, uma reorganização das maternidades do País, reconhecendo dificuldades nos serviços de Obstetrícia sobretudo em Lisboa e Vale do Tejo e na restante zona Sul do país, sobretudo nos períodos de férias.

«Nesta época, procurámos garantir que as faltas [de profissionais] são supridas com recurso a prestação de serviço», disse aos jornalistas à margem de uma inauguração em Lisboa, afirmando que foram autorizadas prestações de serviços médicos que vão além dos valores de referência estabelecidos em termos de pagamento a médicos prestadores de serviço.

Contudo, Marta Temido reconheceu que os problemas não podem ser resolvidos «apenas por essa via». «Estamos a estudar alternativas», afirmou, indicando que está a ser concluída a revisão da rede de saúde materna e obstétrica.

A ministra da Saúde defendeu, esta terça-feira, uma reorganização das maternidades do País, sobretudo na zona Sul 

Depois dessa revisão, o Governo pretende ter uma «intervenção mais objetiva na reorganização da oferta e redistribuição dos recursos humanos das zonas mais críticas».

«As dificuldades existem, mas não as podemos ultrapassar sem medidas de raiz», acrescentou, mas sem adiantar que tipo de reorganização pretende nas maternidades.

Além de «garantir mais contratações de médicos», Marta Temido apenas avança que é necessário «olhar para a malha da oferta» dos serviços de Obstetrícia.

19tm34L
21 de Agosto de 2019
1934Pub4f19tm34L

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Afinal, é a lei que limita fármacos inovadores a não ser perante risco imed...

Afinal, é a própria lei que limita as autorizações excepcionais para ter acesso aos fármacos inovado...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

 Cancro de cabeça e pescoço mata três portugueses por dia

A Semana Europeia de Luta Contra o Cancro de Cabeça e Pescoço arrancou esta segunda-feira em Lisboa....

por Teresa Mendes | 17.09.2019

 Pelo menos 5 pessoas morrem a cada minuto devido a erros clínicos

No dia em que celebra o primeiro Dia Mundial para a Segurança do Doente (17 de setembro), a Organiza...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Só os neurónios mais viáveis sobrevivem no desenvolvimento do sistema nervo...

Ao contrário do pensado, não é o acaso que determina quais as células que irão formar o sistema nerv...

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 Profissionais estão a «deixar de acreditar nesta forma única de organizaçã...

Prestes a iniciar o quarto trimestre de 2019, altura em que deveria estar a ser realizada a transiçã...

16.09.2019

 «Queremos que o hospital saia de portas»

O Governo quer alargar a hospitalização domiciliária a todos os hospitais do Serviço Nacional de Saú...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.