A Europa está a perder terreno nos esforços pela eliminação do sarampo

por Teresa Mendes | 29.08.2019

Número de casos já ultrapassou o total do ano passado, alerta a OMS
Pela primeira vez desde em 2012, quatro Estados perderam o estatuto de país que eliminou o sarampo: a Albânia, a República Checa, a Grécia e o Reino Unido. Esta foi a conclusão da Comissão Europeia de Verificação Regional da Organização Mundial da Saúde (OMS), com base numa avaliação de 53 Estados-membros.

A perda do estatuto significa que, em 2018, os países não foram capazes de controlar a tempo (têm um ano) o surgimento de novos surtos.
 
Num comunicado, a OMS avisa que «a Europa está a perder terreno nos esforços pela eliminação do sarampo».

Pela primeira vez desde em 2012, quatro Estados perderam o estatuto de país que eliminou o sarampo: a Albânia, a República Checa, a Grécia e o Reino Unido 

O presidente da Comissão Europeia de Verificação Regional, Günter Pfaff, salienta que «o restabelecimento da transmissão do sarampo é preocupante», alertando que «se a cobertura de imunização não for alcançada e mantida em todas as comunidades, tanto crianças como adultos sofrerão de forma desnecessária e alguns morrerão tragicamente».

Por outro lado, e de acordo com o mesmo relatório, a Áustria e a Suíça eliminaram a doença, tendo conseguido demonstrar que não existiu transmissão de sarampo dentro do país durante pelo menos 36 meses.

Até o final de 2018, 35 países europeus tinham alcançado e mantido a eliminação do sarampo, menos dois do que no ano anterior.

O aumento no número de casos que aconteceu em 2018 tornou a repetir-se em 2019, com cerca de 90 mil casos relatados no primeiro semestre do ano. «Este valor representa mais do que número total de casos registado em todo o ano de 2018, cerca de 84 mil», destaca o documento. 

A diretora regional da OMS para a Europa, Zsuzsanna Jakab, referiu que «grandes esforços para controlar esta doença altamente contagiosa permitiram percorrer um longo caminho para a eliminação regional».

Apesar disso, a especialista alerta que «os surtos contínuos de sarampo demonstram que é necessário fazer mais».

19tm35n
29 de Agosto de 2019
1935Pub5f19tm35n

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Afinal, é a lei que limita fármacos inovadores a não ser perante risco imed...

Afinal, é a própria lei que limita as autorizações excepcionais para ter acesso aos fármacos inovado...

por Teresa Mendes | 17.09.2019

 Cancro de cabeça e pescoço mata três portugueses por dia

A Semana Europeia de Luta Contra o Cancro de Cabeça e Pescoço arrancou esta segunda-feira em Lisboa....

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Só os neurónios mais viáveis sobrevivem no desenvolvimento do sistema nervo...

Ao contrário do pensado, não é o acaso que determina quais as células que irão formar o sistema nerv...

por Teresa Mendes | 16.09.2019

 Profissionais estão a «deixar de acreditar nesta forma única de organizaçã...

Prestes a iniciar o quarto trimestre de 2019, altura em que deveria estar a ser realizada a transiçã...

16.09.2019

 «Queremos que o hospital saia de portas»

O Governo quer alargar a hospitalização domiciliária a todos os hospitais do Serviço Nacional de Saú...

16.09.2019

Bastonária da OE chama Miguel Guimarães para ser ouvido no caso da sindicân...

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros (OE), Ana Rita Cavaco, quer incluir, como testemunhas, o ex-mi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.