Google vai proibir anúncios de tratamentos médicos sem base científica

por Teresa Mendes | 10.09.2019

Nova política anunciada pelo gigante da Internet
A Google anunciou, esta sexta-feira, num comunicado, que vai banir os anúncios de tratamentos médicos que não tenham base científica comprovada, incluindo os que envolvem células estaminais e terapias genéticas.

«Anunciamos uma nova política para proibir a publicidade de técnicas médicas não comprovadas ou experimentais, como a maioria das terapias com células-tronco, terapia celular (não-tronco) e terapia genética.

Esta nova política proibirá anúncios que vendam tratamentos que não tenham base científica ou biomédica comprovada.
A nova política também inclui tratamentos enraizados em descobertas científicas básicas e experiência clínica preliminar, mas sem testes clínicos formais suficientes para justificar o uso clínico generalizado», lê-se na nota à Imprensa, assinada por Adrienne Biddings, consultora de políticas da Google.

A Google anunciou, esta sexta-feira, num comunicado, que vai banir os anúncios de tratamentos médicos que não tenham base científica comprovada, incluindo os que envolvem células estaminais e terapias genéticas 

O comunicado cita alguns nomes mundialmente reconhecidos na área da saúde que apoiam esta decisão da Google, entre os quais Deepak Srivastava, presidente da International Society for Stem Cell Research, que diz a nova política é «um passo muito bem-vindo e muito necessário para coibir [a ação de] pessoas sem escrúpulo que querem divulgar tratamentos sem qualquer base científica, nomeadamente terapias de células-tronco não-testadas».

De acordo com a empresa, esta decisão foi tomada devido «ao aumento de malfeitores que tentam aproveitar-se das pessoas oferecendo tratamentos enganosos e não comprovados, que podem ter consequências perigosas para a saúde».

O comunicado pode ser consultado na íntegra aqui

19tm37g
10 de Setembro de 2019
1937Pub3f19tm37g

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.02.2020

 Eutanásia «viola a relação médico-doente», reafirma Miguel Guimarães

A Ordem dos Médicos (OM) voltou esta segunda-feira a manifestar-se contra a prática da eutanásia, ar...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

Criada comissão para elaborar proposta para uma Lei da Saúde Pública

O Ministério da Saúde criou uma Comissão para elaborar uma proposta de Reforma da Saúde Pública e Su...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

USF da Alta de Lisboa e Alto dos Moinhos concluídas dentro de ano e meio

A ministra da Saúde lançou esta segunda-feira a primeira pedra das novas unidades de saúde familiar...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

 Generalização do modelo USF? Sim, mas mantendo os critérios diferenciadore...

A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) diz-se satisfeita com a intenção do pr...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

 Utilização de medicamentos para o controlo da diabetes aumentou 44%

A utilização de medicamentos para o controlo da diabetes aumentou 44% entre 2009 e 2018. O consumo c...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

1.º Congresso Internacional de Cuidados Continuados e Paliativos 

  O Centro de Estudos e Desenvolvimento de Cuidados Continuados e Paliativos (CEDCCP) da Faculdade d...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

 Doença renal crónica, uma ameaça crescente contra a saúde pública global

A taxa de mortalidade por doença renal crónica (DRC) deve aumentar nos próximos anos, a menos que ma...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.