Cancro de cabeça e pescoço mata três portugueses por dia

por Teresa Mendes | 17.09.2019

Semana europeia de luta contra a doença apela ao diagnóstico precoce
A Semana Europeia de Luta Contra o Cancro de Cabeça e Pescoço arrancou esta segunda-feira em Lisboa. O grande objetivo é alertar para o diagnóstico precoce desta doença que mata três portugueses por dia.
O evento, é organizado em Portugal pelo Grupo de Estudos de Cancro de Cabeça e Pescoço (GECCP) e pela Associação dos Amigos dos Doentes com Cancro Oral (ASADOCORAL).

«Morrem três portugueses por dia com esta doença e aquilo que nós queremos é que sejam diagnosticados mais cedo», disse aos jornalistas a presidente do Grupo de Estudos de Cancro de Cabeça e Pescoço, Ana Castro, durante uma ação de rastreios no Cais do Sodré, em Lisboa.

A médica explicou que quanto mais cedo o cancro for diagnosticado maior é a probabilidade de cura: «Nós conseguimos curar 90% dos doentes nessa fase e se diagnosticarmos muito tarde vamos conseguir curar apenas cerca de 20%.»

Ana Castro destacou como «muito positivo» no combate a esta doença a entrada de médicos dentistas no Serviço Nacional de Saúde, porque «permite a mais gente ter acesso a cuidados de saúde oral», um dos fatores de risco do cancro de cabeça e pescoço.

A Semana Europeia de Luta Contra o Cancro de Cabeça e Pescoço arrancou esta segunda-feira em Lisboa. O grande objetivo é alertar para o diagnóstico precoce desta doença que mata três portugueses por dia 

Existe também um programa para formação de farmacêuticos, que em muitas zonas do interior do país são a «primeira porta dos doentes». É importante que consigam reconhecer esta doença e saibam para onde podem reencaminhar o doente, referiu Ana Castro.

Presente na iniciativa, a ministra da Saúde, Marta Temido, considerou que este tipo de campanhas são «absolutamente fundamentais» para «sensibilizar a população para a necessidade de estar atento às alterações da sua cavidade oral» e se queixarem aos profissionais de saúde quando detectarem alguma alteração.

O evento, organizado pelo Grupo de Estudos de Cancro de Cabeça e Pescoço (GECCP) e pela Associação dos Amigos dos Doentes com Cancro Oral (ASADOCORAL), contou também com a presença de Ana Castro, oncologista do Centro Hospitalar do Porto, de Filipe Freitas, membro da Mesa da Assembleia Geral da Ordem dos Médicos Dentistas e Vice-Presidente da Academia Portuguesa de Medicina Oral.

A lista completa das atividades previstas para esta semana está disponível aqui.

19tm38e
17 de Setembro de 2019
1938Pub3f19tm38e

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 29.05.2020

BE quer garantir subsídio de risco aos profissionais de saúde 

 O Bloco de Esquerda (BE) entregou esta quarta-feira um projeto de lei na Assembleia da República ap...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

«Uma notícia que nos alimenta a esperança» 

Dos 3398 profissionais de saúde infetados com a doença Covid-19, já recuperaram 2161, revelou esta q...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

«Este é o momento de contratar mais médicos e de recuperar as carreiras» 

«O nosso trabalho é salvar vidas, ajudar os portugueses e ajudar o país.»<br /> <br /> Foi desta f...

por Teresa Mendes | 29.05.2020

Sem confinamento SNS teria de atender três vezes mais doentes graves com Co...

Se o estado de emergência não tivesse vigorado em Portugal nos primeiros 15 dias de abril, as unidad...

por Teresa Mendes | 28.05.2020

Saldo do SNS em abril agravou-se 11,3 milhões de euros 

Em abril, o saldo do Serviço Nacional de Saúde (SNS) situou-se nos 149,2 milhões de euros negativos,...

por Teresa Mendes | 28.05.2020

Infarmed aprova financiamento de Keytruda® em combinação com pemetrexedo e...

O Infarmed aprovou, esta terça-feira, o financiamento de Keytruda® (pembrolizumab) em combinação com...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.