Crianças diabéticas ou com alergias vão receber mais apoio nas escolas

por Teresa Mendes | 19.09.2019

Refeições e horários adaptados são algumas das medidas aprovadas
 As crianças diabéticas ou com alergias alimentares vão passar a estar mais protegidas nas escolas.
Os ministérios da Saúde e Educação aprovaram esta quarta-feira um regulamento para o apoio dos casos com diabetes tipo 1 na escola e estão também a estudar soluções para os casos de alergias alimentares, tendo criado um grupo de trabalho para o efeito.

Este Grupo de Trabalho das Alergias Alimentares na Escola, nomeado num despacho publicado esta quarta-feira no Diário da República, tem como missão propor um regulamento que crie os mecanismos que garantam a inclusão das crianças e jovens com alergias alimentares, e será coordenado por Gonçalo Cordeiro Ferreira, presidente da Comissão Nacional da Saúde Materna, da Criança e do Adolescente (CNSMCA), que coordena.

O prazo para apresentação da proposta de regulamento é até ao dia 31 de dezembro de 2019.

Entre as medidas a aplicar estão novas ementas e ações de formação sobre alergias e contaminação cruzada de alimentos.

Os ministérios da Saúde e Educação aprovaram esta quarta-feira um regulamento para o apoio dos casos com diabetes tipo 1 na escola e estão também a estudar soluções para os casos de alergias alimentares, tendo criado um grupo de trabalho para o efeito 

Relativamente à diabetes, o processo está mais adiantado, tendo o Governo publicado no mesmo dia o regulamento de enquadramento do apoio às crianças e jovens com Diabetes Mellitus tipo 1 na Escola. 

Segundo o regulamento, a escolar passa a ter de garantir a saúde e bem-estar da criança ou jovem com diabetes, apoiá-la «durante todo o período de permanência na escola e nas respetivas atividades extracurriculares», «garantir um horário de refeições compatível com a sua necessidade» e mesmo «facultar condições adequadas para a realização dos exames nacionais e/ou provas de aferição».

19tm38m
19 de Setembro de 2019
1938Pub5f19tm38m

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

15.11.2019

Existem enormes disparidades na disponibilização dos fármacos inovadores

Há hospitais portugueses que chegam a demorar até quatro meses a disponibilizar medicamentos inovado...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Lítio pode reverter os danos da radiação após o tratamento de tumores cere...

É sabido que as crianças que receberam radioterapia para um tumor cerebral podem vir a desenvolver p...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Apifarma celebra 80 anos com a presença da ministra da Saúde

As associações Alzheimer Portugal, de Apoio aos Traumatizados Crânio-Encefálicos e Suas Famílias, de...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

«Esperança» é a protagonista da nova campanha da Pulmonale

O cancro do pulmão é um dos tumores malignos que mais mata. Contudo, é também um dos que mais tem be...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

«A maior urgência do país não pode fechar», diz bastonário

Após uma visita esta quarta-feira ao hospital de Santa Maria, o bastonário da Ordem dos Médicos (OM)...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

Infarmed alarga leque de fármacos com limitações à exportação

O Infarmed atualizou esta quarta-feira a lista de medicamentos abrangidos pela notificação prévia de...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.