EFPIA divulga posição oficial sobre a falta de medicamentos na Europa

por Teresa Mendes | 26.09.2019

Organismo diz estar preocupado e a fazer tudo o que está ao seu alcance
A Federação Europeia da Indústria Farmacêutica (EFPIA) divulgou esta sexta-feira, uma posição oficial sobre a falta de medicamentos na Europa.
Num comunicado, o organismo reconhece que «a escassez de medicamentos é uma fonte crescente de preocupação», mas garante que a Indústria «está a dar todos os passos possíveis para minimizar o impacto dessas falhas junto dos doentes».

No documento, a EFPIA salienta que as causas são «multifatoriais», incluindo «problemas na produção, consolidação global do fabrico, impactos não intencionais das políticas de preços, bem como problemas na cadeia de distribuição».

Mas, assegura que «a Indústria Farmacêutica continua comprometida em garantir o fornecimento adequado e contínuo de medicamentos a farmácias e pessoas autorizadas ou habilitadas a fornecer medicamentos ao público, para que as necessidades dos doentes sejam atendidas».

A EFIA informa ainda que está a trabalhar com a Agência Europeia do Medicamento (EMA) e com os vários responsáveis das agências de medicamentos de toda a Europa, de forma a «garantir a implementação efetiva das guidelines sobre a deteção e notificação de escassez, o que deve permitir que todas as autoridades competentes da UE recebam informações harmonizadas sobre qualquer possível interrupção ou interrupção do fornecimento num estágio muito inicial».

A EFPIA diz ainda estar «empenhada» em «garantir que todas as fontes possíveis de informações estão a ser usadas para fornecer informações adicionais sobre as causas e os fatores na base destas falhas, incluindo a identificação de problemas na cadeia de distribuição», considerando que a utilização dos sistemas de reposição para a monitorização da escassez beneficiaria de «uma discussão mais aprofundada entre as autoridades nacionais competentes e as partes interessadas relevantes da cadeia de distribuição».

O comunicado está disponível para consulta na íntegra aqui.

19tm39m
26 de Setembro de 2019
1939Pub5f19tm39m

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 13.12.2019

 «Assistimos hoje ao assassinato premeditado do modelo USF»

O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) decidiu abandonar as reuniões da Comissão Técnica Naciona...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

 «Premium Cataract Surgery 2020» debate técnicas cirúrgicas inovadoras

A Universidade do Minho organiza, no próximo dia 18 de janeiro de 2020, a conferência «Premium Catar...

13.12.2019

 Tecnologia criada no Porto ajuda médicos a identificar nódulos pulmonares

Investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TE...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

 Marta Temido anuncia reforço de 800 milhões de euros para a Saúde em 2020

Foram várias as entidades que se congratularam publicamente pelo reforço de verbas para o Serviço Na...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

55% dos doentes com doença crónica tem baixos níveis de literacia em saúde

«55% da população com doença crónica tem níveis inadequados de literacia em saúde», uma situação que...

por Teresa Mendes | 13.12.2019

Lançado Instituto Virtual de Fibromialgia

Foi lançado o Instituto Virtual de Fibromialgia, MyFibromyalgia®, uma ferramenta de intervenção clín...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.