Bastonária dos Enfermeiros contra o regulamento do ato de nutricionista

por Teresa Mendes | 03.10.2019

OE diz que documento exclui os outros profissionais de saúde 
Tal como fez com o regulamento do ato médico em abril passado, a Ordem dos Enfermeiros (OE) contesta agora o regulamento do ato de nutricionista, considerando que o projeto, que está em consulta pública até ao dia 9 de outubro, «viola a lei e exclui os outros profissionais de saúde da prevenção e tratamento da doença».

Na sua pronúncia sobre o projeto de regulamento, a OE recorda que o Parlamento não chegou a apreciar e a votar o diploma que definia e regulava os atos do biólogo, do enfermeiro, do médico, do farmacêutico, do nutricionista e do psicólogo.

Por isso, a OE entende que não existe fundamento para que cada uma das ordens profissionais venha por si só definir o que entende por ato próprio da profissão que representa e «muito menos defini-lo de tal forma que resulta num esvaziamento do exercício legalmente protegido das outras profissões».

Segundo a pronúncia da estrutura que representa os enfermeiros, e a que a agência Lusa teve acesso, a competência para definir o ato próprio do nutricionista «nunca poderia estar reconhecido a um órgão da própria Ordem».

«A Ordem dos Enfermeiros nunca poderá aceitar que um instrumento tão relevante e com a possibilidade de tão fortes implicações (…) possa ser aprovado pelo conselho geral da Ordem dos Nutricionistas (ON), em clara violação da lei», diz o parecer enviado à bastonária da ON, Alexandra Bento.

No documento assinado pela bastonária Ana Rita Cavaco, os enfermeiros consideram que a proposta dos nutricionistas ignora «por completo a existência de outros profissionais de saúde», estabelecendo que «tudo é da reserva exclusiva ou própria da competência dos nutricionistas».

No documento assinado pela bastonária Ana Rita Cavaco, os enfermeiros consideram que a proposta dos nutricionistas ignora «por completo a existência de outros profissionais de saúde», estabelecendo que «tudo é da reserva exclusiva ou própria da competência dos nutricionistas» 

Em concreto, os enfermeiros não aceitam que sejam tarefas exclusivas dos nutricionistas, atividades como «avaliar e validar planos de ementas adequados», «realizar aconselhamento alimentar», «monitorizar a evolução do estado nutricional» ou «prescrever terapêutica alimentar e nutricional personalizada».

Já a Ordem dos Nutricionistas salienta a importância da aprovação deste documento para o «combate a eventuais más práticas ou à prestação de serviços de nutrição por indivíduos não qualificados».

O projeto de regulamento pode ser consultado aqui.

19tm40n
03 de Outubro de 2019
1940Pub5f19tm40n

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

15.11.2019

Existem enormes disparidades na disponibilização dos fármacos inovadores

Há hospitais portugueses que chegam a demorar até quatro meses a disponibilizar medicamentos inovado...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Lítio pode reverter os danos da radiação após o tratamento de tumores cere...

É sabido que as crianças que receberam radioterapia para um tumor cerebral podem vir a desenvolver p...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Apifarma celebra 80 anos com a presença da ministra da Saúde

As associações Alzheimer Portugal, de Apoio aos Traumatizados Crânio-Encefálicos e Suas Famílias, de...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

«Esperança» é a protagonista da nova campanha da Pulmonale

O cancro do pulmão é um dos tumores malignos que mais mata. Contudo, é também um dos que mais tem be...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

«A maior urgência do país não pode fechar», diz bastonário

Após uma visita esta quarta-feira ao hospital de Santa Maria, o bastonário da Ordem dos Médicos (OM)...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

Infarmed alarga leque de fármacos com limitações à exportação

O Infarmed atualizou esta quarta-feira a lista de medicamentos abrangidos pela notificação prévia de...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.