Sobrinho Simões distinguido pelo Royal College of Pathologists do Reino Unido

foto de "DR" | 14.10.2019

Em 2015 foi considerado o patologista mais influente do mundo 
Após ter sido considerado, em 2015, o patologista mais influente do mundo, pela revista científica The Pathologist, o médico, professor e investigador Manuel Sobrinho Simões foi distinguido como Honorary Fellow pelo Royal College of Pathologists, do Reino Unido, anunciou a Universidade do Porto num comunicado.

Sobrinho Simões junta-se assim a uma «lista restrita de personalidades de grande distinção e mérito», entre os quais se incluem vários prémios Nobel.

Para além de médico aposentado médico aposentado do Serviço de Anatomia Patológica do Centro Hospitalar São João (CHUSJ), Sobrinho Simões é fundador e diretor do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup), membro da comissão diretiva do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) e professor emérito da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP).

Coautor de cerca de 350 artigos científicos originais, foi também presidente da Sociedade e do Colégio Europeu de Patologia.
É, ainda, membro dos conselhos científicos da Escola Europeia de Patologia, do Curso Europeu de Patologia Celular e da Associação Europeia de Prevenção de Cancro.

Integra, também, o Comité Redatorial da Associação de Diretores de Patologia Cirúrgica dos EUA (ADASP).

Manuel Sobrinho Simões conquistou vários outros prémios nacionais e internacionais ao longo da sua carreira. Entre eles incluem-se o Prémio Bordalo - Ciência (1996), Prémio Seiva Trupe - Ciência (2002), o Prémio Pessoa (2002), Cruz Vermelha Portuguesa (2002) e o Grande Prémio Ciência Viva Montepio (2016).

Após ter sido considerado, em 2015, o patologista mais influente do mundo, pela revista científica The Pathologist, o médico, professor e investigador Manuel Sobrinho Simões foi distinguido como Honorary Fellow pelo Royal College of Pathologists, do Reino Unido 

Foi igualmente agraciado com o título de Comandante e Grande Oficial da Ordem Real da Noruega (2003 e 2010), com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2004) e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (2017).

Em 2013, recebeu a medalha de serviços distintos do Ministério da Saúde grau ouro e, em 2017, o Prémio de Mérito da Competência em Gestão dos Serviços de Saúde atribuído pela Ordem dos Médicos.

19tm42d
14 de Outubro de 2019
1942Pub2f19tm42d

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

14.02.2020

Exportações em Saúde atingem um máximo histórico de 1,5 mil milhões de euro...

As exportações portuguesas em Saúde atingiram um novo recorde de cerca de 1,5 mil milhões de euros,...

por Teresa Mendes | 14.02.2020

 Governo aprova nova PPP no Hospital de Cascais

O Bloco de Esquerda (BE) considera que a decisão do Governo de avançar para uma nova parceria públic...

por Teresa Mendes | 14.02.2020

 Gabinete de segurança para profissionais de saúde coordenado por oficial d...

Foi publicado esta quinta-feira o despacho que cria o Gabinete de Segurança para a Prevenção e o Com...

por Teresa Mendes | 13.02.2020

 VIII Congresso Científico ANL debate preocupações da Medicina Laboratorial

Vai decorrer, nos dias 29 e 30 de maio, no Centro de Congresso de S. Rafael, no Algarve, o VIII Cong...

por Teresa Mendes | 13.02.2020

 Enfarte do miocárdio atinge 15 mil portugueses todos os anos

Nas vésperas do Dia Nacional do Doente Coronário, que se assinala a 14 de fevereiro, a Sociedade Por...

por Teresa Mendes | 13.02.2020

 «Eutanásia e o suicídio assistido não se enquadram na prática da medicina»

Mantendo a decisão de há dois anos, o Conselho Nacional de Ética e Deontologia Médicas (CNEDM) da Or...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.