Sobrinho Simões distinguido pelo Royal College of Pathologists do Reino Unido

foto de "DR" | 14.10.2019

Em 2015 foi considerado o patologista mais influente do mundo 
Após ter sido considerado, em 2015, o patologista mais influente do mundo, pela revista científica The Pathologist, o médico, professor e investigador Manuel Sobrinho Simões foi distinguido como Honorary Fellow pelo Royal College of Pathologists, do Reino Unido, anunciou a Universidade do Porto num comunicado.

Sobrinho Simões junta-se assim a uma «lista restrita de personalidades de grande distinção e mérito», entre os quais se incluem vários prémios Nobel.

Para além de médico aposentado médico aposentado do Serviço de Anatomia Patológica do Centro Hospitalar São João (CHUSJ), Sobrinho Simões é fundador e diretor do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup), membro da comissão diretiva do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) e professor emérito da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP).

Coautor de cerca de 350 artigos científicos originais, foi também presidente da Sociedade e do Colégio Europeu de Patologia.
É, ainda, membro dos conselhos científicos da Escola Europeia de Patologia, do Curso Europeu de Patologia Celular e da Associação Europeia de Prevenção de Cancro.

Integra, também, o Comité Redatorial da Associação de Diretores de Patologia Cirúrgica dos EUA (ADASP).

Manuel Sobrinho Simões conquistou vários outros prémios nacionais e internacionais ao longo da sua carreira. Entre eles incluem-se o Prémio Bordalo - Ciência (1996), Prémio Seiva Trupe - Ciência (2002), o Prémio Pessoa (2002), Cruz Vermelha Portuguesa (2002) e o Grande Prémio Ciência Viva Montepio (2016).

Após ter sido considerado, em 2015, o patologista mais influente do mundo, pela revista científica The Pathologist, o médico, professor e investigador Manuel Sobrinho Simões foi distinguido como Honorary Fellow pelo Royal College of Pathologists, do Reino Unido 

Foi igualmente agraciado com o título de Comandante e Grande Oficial da Ordem Real da Noruega (2003 e 2010), com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (2004) e com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada (2017).

Em 2013, recebeu a medalha de serviços distintos do Ministério da Saúde grau ouro e, em 2017, o Prémio de Mérito da Competência em Gestão dos Serviços de Saúde atribuído pela Ordem dos Médicos.

19tm42d
14 de Outubro de 2019
1942Pub2f19tm42d

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

15.11.2019

Existem enormes disparidades na disponibilização dos fármacos inovadores

Há hospitais portugueses que chegam a demorar até quatro meses a disponibilizar medicamentos inovado...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Lítio pode reverter os danos da radiação após o tratamento de tumores cere...

É sabido que as crianças que receberam radioterapia para um tumor cerebral podem vir a desenvolver p...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

 Apifarma celebra 80 anos com a presença da ministra da Saúde

As associações Alzheimer Portugal, de Apoio aos Traumatizados Crânio-Encefálicos e Suas Famílias, de...

por Teresa Mendes | 15.11.2019

«Esperança» é a protagonista da nova campanha da Pulmonale

O cancro do pulmão é um dos tumores malignos que mais mata. Contudo, é também um dos que mais tem be...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

«A maior urgência do país não pode fechar», diz bastonário

Após uma visita esta quarta-feira ao hospital de Santa Maria, o bastonário da Ordem dos Médicos (OM)...

por Teresa Mendes | 14.11.2019

Infarmed alarga leque de fármacos com limitações à exportação

O Infarmed atualizou esta quarta-feira a lista de medicamentos abrangidos pela notificação prévia de...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.