Pactos de permanência no SNS e opção pela dedicação plena são apostas do Governo

por Teresa Mendes | 28.10.2019

Medidas têm como objetivo assegurar tempos adequados de resposta 
A adoção de novos modelos de organização do trabalho, baseados na celebração de «pactos de permanência no Serviço Nacional de Saúde (SNS) após a conclusão da futura formação especializada», bem como na «opção pelo trabalho em dedicação plena» e «no pagamento de incentivos pelos resultados», são algumas das apostas do Governo para os próximos quatro anos.

Estas medidas têm como objetivo «continuar a política de reforço dos recursos humanos, melhorando a eficiência da combinação de competências dos profissionais de saúde» e, simultaneamente, «assegurar tempos adequados de resposta do SNS», que constituem «uma das maiores pressões sobre o SNS», lê-se no Programa do XXII Governo Constitucional, entregue na Assembleia da República este sábado.

Nesse sentido, o Governo tem também como meta «alargar o número de consultas externas», sugerindo que estas podem passar a ser também realizadas «aos sábados», e ainda «generalizar o agendamento com hora marcada para a atividade programada de todas as instituições e serviços públicos de saúde». 

O Governo promete «reforçar os serviços de saúde ocupacional das unidades do SNS», bem como «estimular a oferta de serviços de creche para os filhos dos profissionais de saúde»  

O Executivo quer ainda «integrar a informação entre os cuidados primários e os cuidados hospitalares para simplificaras marcações, agendamentos e reagendamentos, de modo a diminuir as consultas que não se realizam por falta do doente», que são cerca de 14%.

Por outro lado, o novo Governo pretende «reforçar o papel dos níveis de gestão intermédia nos hospitais públicos, conferindo-lhes mais responsabilidade e mais autonomia, remunerando-os diferenciadamente e exigindo-lhes a dedicação plena» e «proceder à avaliação e ajustamento da distribuição geográfica da capacidade instalada, assegurando níveis de acessibilidade adequados para todas as especialidades em todo o território, garantindo um planeamento integrado de instalações, equipamentos médicos e recursos humanos que oriente todas as decisões de investimento».

Governo quer aumentar oferta de serviços de creche para os filhos dos profissionais de saúde

O Programa do XXII Governo Constitucional tem igualmente um capítulo dedicado a «melhorar as condições de trabalho no SNS», no qual salienta que o SNS conta com mais de 130.000 profissionais de saúde, entre prestadores diretos de cuidados e prestadores de serviços de suporte, lembrando que «a saúde é um setor onde a mão de obra é intensiva, onde se trabalha sete dias por semana, 24 horas por dia». 

Por estes motivos, o documento observa que é «essencial o investimento numa política de recursos humanos da saúde que reflita a atenção a organizações saudáveis e seguras, que promovam a igualdade de género, o equilíbrio entre vida familiar e profissional, o espaço para o diálogo social e a motivação». 

Para garantir esses direitos, o Governo promete «reforçar os serviços de saúde ocupacional das unidades do SNS», «estimular a oferta de serviços de creche para os filhos dos profissionais de saúde» e fomentar o equilíbrio entre as expectativas dos profissionais de saúde e as necessidades de saúde dos cidadãos, «investindo numa cultura de organização dos serviços públicos que privilegie as preferências dos utentes e dê a conhecer à população as funções e a forma de trabalho dos profissionais de saúde».

O Programa do novo Governo está disponível para consulta, aqui.

19tm44a
28 de Outubro de 2019
1944Pub2f19tm44a

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 23.01.2020

 «Day at the Cath Lab»

 A Unidade de Hemodinâmica e Intervenção Cardiovascular (UHICV) do Hospital de Santo André (Centro H...

por Teresa Mendes | 23.01.2020

 Deixar de fumar um mês antes de uma cirurgia permite melhor recuperação

Os fumadores que deixem de fumar pelo menos um mês antes de uma cirurgia têm menores probabilidades...

23.01.2020

Coronavírus: Portugal activa os dispositivos de saúde pública de prevenção

Portugal já ativou os dispositivos de saúde pública de prevenção ao coronavírus proveniente da China...

por Teresa Mendes | 23.01.2020

Nomeados os membros da Direção da Competência em Ecografia Obstétrica Difer...

Diferenciada  Já estão nomeados todos os membros da Direção do Colégio da Competência em Ecografia O...

por Teresa Mendes | 22.01.2020

Hospitalização domiciliária no CHULN arranca em fevereiro

A partir de 3 de fevereiro, o Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte (CHULN) vai começar a...

por Teresa Mendes | 22.01.2020

 Hospital de S. João implanta dispositivo inovador em doentes com Parkinson

O Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ) implantou esta terça-feira um dispositivo médi...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.