Chefes de equipa do SU do CHULN sem condições para assegurar cuidados seguros

por Teresa Mendes | 08.11.2019

Responsáveis entregam minuta de escusa de responsabilidade 
Vinte e um chefes de equipa do Serviço de Urgência (SU) do Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Norte (CHULN) «entregaram minutas de escusa de responsabilidade dada a situação atual de carência de médicos», informou esta quinta-feira o Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) num comunicado.

Considerando que não há condições para cuidados de saúde de qualidade e em segurança, os médicos recusam assumir «qualquer responsabilidade pelos acidentes ou incidentes» que possam acontecer por causa do que chamam «deficientes e anómalas condições de organização do serviço causadas pela insuficiência dos meios humanos», sublinha o sindicato.

De acordo com a nota à Imprensa, estes 21 chefes de equipa referem que «as equipas escaladas para o SU não cumprem os mínimos recomendados pelo Colégio da Especialidade de Medicina Interna para que seja assegurado o cumprimento das boas práticas clínicas, no período das 20h00 às 8h00 durante os dias da semana e durante as 24 horas dos fins-de-semana e feriados, no que concerne ao número e diferenciação de médicos».

Vinte e um chefes de equipa do Serviço de Urgência do CHULN «entregaram minutas de escusa de responsabilidade dada a situação atual de carência de médicos», informou o Sindicato dos Médicos da Zona Sul 

No mesmo dia o CHULN reconheceu a carência de médicos para assegurar as urgências, mas afirma que ainda foi possível compensar a saída de clínicos, apesar do «relevante esforço» que tem sido feito.

Num comunicado, o CHULN admitiu as «carências existentes», em termos de médicos para a atividade de urgência, mas esclareceu que «mercê do esforço, flexibilidade e incontestável dedicação dos profissionais, é nos fins de semana que se verifica a maior dificuldade em equilibrar a dotação das equipas, pois nos dias úteis, incluindo os períodos noturnos, a articulação entre as equipas permite dotações mais adequadas».

O CHULN lembra que, como unidade hospitalar de referência, incorpora «uma Urgência Polivalente que regista a maior afluência diária da Região de Lisboa e Vale do Tejo, pugnando por assegurar cuidados de saúde de qualidade».

«No contexto das incontornáveis solicitações assistenciais, nomeadamente em contexto de urgência, é preocupação do conselho de administração identificar os constrangimentos e limitações existentes, no sentido de procurar soluções que conduzam à preservação dos elevados níveis de cuidados prestados à população», lê-se ainda no comunicado.

19tm45s
08 de Novembro de 2019
1945Pub6f19tm45s

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 18.02.2020

«Governo menospreza a negociação com os sindicatos médicos»

Os sindicatos médicos saíram esta segunda-feira desiludidos da primeira reunião negocial com a tutel...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

 Eutanásia «viola a relação médico-doente», reafirma Miguel Guimarães

A Ordem dos Médicos (OM) voltou esta segunda-feira a manifestar-se contra a prática da eutanásia, ar...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

Criada comissão para elaborar proposta para uma Lei da Saúde Pública

O Ministério da Saúde criou uma Comissão para elaborar uma proposta de Reforma da Saúde Pública e Su...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

USF da Alta de Lisboa e Alto dos Moinhos concluídas dentro de ano e meio

A ministra da Saúde lançou esta segunda-feira a primeira pedra das novas unidades de saúde familiar...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

 Generalização do modelo USF? Sim, mas mantendo os critérios diferenciadore...

A Associação Nacional das Unidades de Saúde Familiar (USF-AN) diz-se satisfeita com a intenção do pr...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

 Utilização de medicamentos para o controlo da diabetes aumentou 44%

A utilização de medicamentos para o controlo da diabetes aumentou 44% entre 2009 e 2018. O consumo c...

por Teresa Mendes | 17.02.2020

1.º Congresso Internacional de Cuidados Continuados e Paliativos 

  O Centro de Estudos e Desenvolvimento de Cuidados Continuados e Paliativos (CEDCCP) da Faculdade d...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.