Mortes por cancro do pâncreas duplicaram em Portugal nos últimos 25 anos

por Teresa Mendes | 21.11.2019

Alerta da SPG no Dia Mundial do Cancro do Pâncreas
 Nos últimos 25 anos, as mortes por cancro do pâncreas mais do que duplicaram em Portugal, correspondendo a um aumento médio anual de 3%, revela um estudo divulgado esta quinta-feira pela Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG), no dia em que se assinala o Dia Mundial do Cancro do Pâncreas.

Os autores do estudo, os gastroenterologistas Pedro Marques da Costa e Rui Tato Marinho, trataram dados oficiais publicados pelo Instituto Nacional Estatística (INE) em colaboração com a Direção-Geral da Saúde sobre as mortes com causa atribuída a cancro do pâncreas entre 1991 e 2015.

Intitulada «25 anos de aumento da mortalidade por cancro do pâncreas em Portugal», a investigação concluiu que «o número absoluto de mortes por este tumor aumentou de 701 em 1991, para 1415 em 2015».

Os especialistas estimam um aumento de 51% do número bruto de mortes anuais por cancro do pâncreas até 2035 em comparação com 2015, uma situação que, defendem, «deve mobilizar a comunidade científica e a sociedade civil para procurar estratégias de prevenção e diagnóstico precoce» 

Em 2017, as mortes por esta doença totalizaram 1535, tendo mais do que duplicado neste período, disse à agência Lusa Rui Tato Marinho, presidente da SPG.

«A taxa de mortalidade ajustada à idade aumentou 22,8% num incremento médio de quase 1% ao ano (0,91%), uma taxa de aumento pode ser sobreposta à descrita para outros países desenvolvidos tal como os EUA e a França», refere o estudo citado pela Lusa.

Quase todas as mortes (99%) ocorreram em pessoas com mais de 40 anos, sendo «o pico máximo» entre os 75 e os 79 anos.

Contudo, um dos dados «mais alarmantes» é que atualmente o crescimento da mortalidade é mais acentuada entre os 50 e os 54 anos, «o que pode significar que se esta tendência se mantiver, num futuro próximo, um número crescente de mortes por cancro do pâncreas poderá ocorrer em idade cada vez mais precoce», afirmam os autores do estudo.

Ainda segundo o documento, «registam-se mais mortes nos homens do que nas mulheres (14,12 versus 8,88 por 100.000 habitantes), sendo que estes atingem o pico máximo entre os 70 e os 74 anos, cerca de 15 anos mais cedo que as mulheres».

Os especialistas alertam também para a existência de acentuadas diferenças regionais: os Açores e o Alentejo (e em menor grau a Madeira) apresentam taxas de mortalidade, bem como uma taxa de crescimento anual, cerca de duas vezes superiores à média nacional.

«A elevada prevalência de fatores risco como o tabagismo ativo e excesso de peso nestas regiões pode em parte justificar as assimetrias registadas», sublinham.
Tendo por base a evolução de 1991 a 2017, os especialistas estimam um aumento de 51% do número bruto de mortes anuais até 2035 em comparação com 2015, uma situação que, defendem, «deve mobilizar a comunidade científica e a sociedade civil para procurar estratégias de prevenção e diagnóstico precoce».

O cancro do pâncreas é a terceira neoplasia maligna do sistema digestivo mais frequente em Portugal, logo após o cancro do cólon e do estômago, estimando-se que surjam anualmente em Portugal cerca de 1400 novos casos.
    
19tm47o
21 de Novembro de 2019
1947Pub5f19tm47o

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

29.07.2020

Quer o Senhor Ministro formar mais médicos sem as condições adequadas que g...

A plataforma para a formação médica em Portugal  manifesta o seu desagrado e discordância com as dec...

14.07.2020

«Cardiologia»,  uma colecção para profissionais de saúde

«Cardiologia»,  é o título genérico de uma colecção para profissionais de saúde, lançada na próxima...

por Zózimo Zorrinho | 13.07.2020

Recomendação da vacinação antipneumocócica pela SPEDM

«Foi com enorme satisfação que o Movimento Doentes Pela Vacinação (MOVA) recebeu a notícia da recome...

por Zózimo Zorrinho | 13.07.2020

SPMI cria «Prémio Pedro Marques da Silva» 

20zz29a – TM – 2603 c.<br /> <br /> SPMI cria «Prémio Pedro Marques da Silva em Risco Cardiovascul...

por Zózimo Zorrinho | 02.07.2020

Filme «Saúde Digestiva by SPG»

A Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG) está a divulgar o filme «Saúde Digestiva by SPG».<b...

por Teresa Mendes | 30.06.2020

Miguel Pavão é o novo bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas 

 Miguel Pavão é novo bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), sucedendo a Orlando Monteiro d...

por Teresa Mendes | 29.06.2020

Fnam teme colapso dos serviços de saúde durante previsível nova vaga de SAR...

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) está preocupada com a ausência de medidas concretas e urgent...

por Teresa Mendes | 26.06.2020

Portugal adquire dois milhões de vacinas contra a gripe

Portugal já garantiu a aquisição de dois milhões de vacinas contra a gripe, revelou esta quarta-feir...

por Teresa Mendes | 26.06.2020

Médicos de saúde pública defendem contratação «urgente» de mais profissiona...

O presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública (ANMSP) defendeu esta quinta-feira...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.