Empresas de dispositivos médicos passam a pagar contribuição extraordinária

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 17.12.2019

Objetivo é «garantir a sustentabilidade do SNS» 
À semelhança dos laboratórios farmacêuticos, também as empresas de dispositivos médicos e dispositivos médicos para diagnóstico in vitro que forneçam o Serviço Nacional de Saúde (SNS) vão passar a pagar uma contribuição extraordinária em 2020, em função dos montantes adquiridos.
A receita obtida será «consignada a um fundo de apoio à aquisição de tecnologias da saúde inovadoras pelo SNS».

A medida consta da proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2020, apresentada hoje pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, e tem como objetivo «garantir a sustentabilidade do SNS».

Ficam excluídos do regime de contribuição os dispositivos médicos e os dispositivos médicos para diagnóstico in vitro de grande porte destinados ao tratamento e diagnóstico, ou seja, “os equipamentos destinados a ser instalados, fixados ou de outro modo acoplados a uma localização específica numa unidade de saúde, para que não possam ser deslocados dessa localização ou removidos sem recorrer a instrumentos ou aparelhos, e que não sejam especificamente destinados a ser utilizados no âmbito de uma unidade de cuidados de saúde móvel», lê-se no documento.

A contribuição «incide sobre o valor total das aquisições de dispositivos médicos e dispositivos médicos para diagnóstico in vitro às entidades do SNS, deduzido do imposto sobre o valor acrescentado».

A receita obtida com esta contribuição será «consignada a um Fundo de apoio à aquisição de tecnologias da saúde inovadoras pelo SNS, a ser criado e regulado pelos membros do Governo responsáveis pelas áreas das finanças e da saúde»

As taxas de contribuição vão variar de 1,5% a 4%. Se o valor anual se situar entre um milhão e cinco milhões de euros a taxa a aplicar será de 1,5%; esta sobe para 2,5% se o valor variar entre cinco milhões e 10 milhões e passa a 4% se for superior a 10 milhões de euros.

A proposta do OE para 2020 prevê ainda que possam ser «celebrados acordos entre o Estado Português e as associações de fornecedores visando a sustentabilidade do SNS, nos quais são fixados objetivos para os valores máximos da despesa pública com a compra dispositivos médicos e reagentes».

Desta forma, «ficam isentas da contribuição as entidades que venham a aderir, individualmente e sem reservas, a estes acordos, mediante declaração da entidade entregue no Infarmed», informa o documento.

A receita obtida com esta contribuição será «consignada a um Fundo de apoio à aquisição de tecnologias da saúde inovadoras pelo SNS, objeto de avaliação no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação de Tecnologias de Saúde, a ser criado e regulado pelos membros do Governo responsáveis pelas áreas das Finanças e da Saúde».

19tm51g
17 de Dezembro de 2019
1951Pub3f19tm51g

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

29.07.2020

Quer o Senhor Ministro formar mais médicos sem as condições adequadas que g...

A plataforma para a formação médica em Portugal  manifesta o seu desagrado e discordância com as dec...

por Zózimo Zorrinho | 16.07.2020

COVID-19: Testes revelam presença de anticorpos em apenas 1,5% dos membros...

«A testagem de 2571 membros da comunidade académica da Universidade de Lisboa (ULisboa), mostrou a p...

14.07.2020

«Cardiologia»,  uma colecção para profissionais de saúde

«Cardiologia»,  é o título genérico de uma colecção para profissionais de saúde, lançada na próxima...

por Zózimo Zorrinho | 13.07.2020

Recomendação da vacinação antipneumocócica pela SPEDM

«Foi com enorme satisfação que o Movimento Doentes Pela Vacinação (MOVA) recebeu a notícia da recome...

por Zózimo Zorrinho | 13.07.2020

SPMI cria «Prémio Pedro Marques da Silva» 

20zz29a – TM – 2603 c.<br /> <br /> SPMI cria «Prémio Pedro Marques da Silva em Risco Cardiovascul...

por Zózimo Zorrinho | 02.07.2020

Filme «Saúde Digestiva by SPG»

A Sociedade Portuguesa de Gastrenterologia (SPG) está a divulgar o filme «Saúde Digestiva by SPG».<b...

por Teresa Mendes | 30.06.2020

Miguel Pavão é o novo bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas 

 Miguel Pavão é novo bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), sucedendo a Orlando Monteiro d...

por Teresa Mendes | 29.06.2020

Fnam teme colapso dos serviços de saúde durante previsível nova vaga de SAR...

A Federação Nacional dos Médicos (Fnam) está preocupada com a ausência de medidas concretas e urgent...

por Teresa Mendes | 26.06.2020

Portugal adquire dois milhões de vacinas contra a gripe

Portugal já garantiu a aquisição de dois milhões de vacinas contra a gripe, revelou esta quarta-feir...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.