Infarmed aprova financiamento do Prevymis® 

foto de "DR" | 09.01.2020

Para profilaxia da reativação e da doença por CMV
A Autoridade Nacional do Medicamento aprovou o financiamento do O Prevymis® (letermovir), antivírico que previne a reativação e a doença por citomegalovírus (CMV) em doentes CMV-positivos sujeitos a transplante de medula óssea alogénico, anunciou esta terça-feira a MSD.

Os doentes CMV-positivos submetidos a um transplante alogénico de células estaminais hematopoiéticas (TCEH) correm elevado risco de reativação do CMV devido à imunossupressão a que são sujeitos.

A infeção por CMV é uma complicação clinicamente significativa comum nestes doentes e qualquer grau de reativação do CMV após o transplante está associado ao aumento da mortalidade. Actualmente, existem três tipos de abordagens disponíveis: profilática, preemptiva e tratamento, sendo que as duas últimas não previnem a reativação do CMV.

A Autoridade Nacional do Medicamento aprovou o financiamento do letermovir, antivírico que previne a reativação e a doença por citomegalovírus (CMV) em doentes CMV-positivos sujeitos a transplante de medula óssea alogénico, anunciou esta terça-feira a MSD 

O Prevymis® está indicado na profilaxia da reativação e da doença por citomegalovírus (CMV) em adultos CMV-positivos recetores [R+] de um TCEH alogénico. Este é um medicamento antivírico first-in-class que inibe a replicação do CMV por inibição do complexo terminase do CMV.

De acordo com a MSD, esta aprovação tem por base um ensaio clínico de fase III (P001) em que «o letermovir demonstrou eficácia superior ao placebo no endpoint primário (infeção por CMV clinicamente significativa à semana 24)». 

Um número significativamente inferior de doentes no grupo Prevymis® (37,5 %, n=122/325) em comparação com o grupo placebo (60,6 %, n=103/170) desenvolveu infeção por CMV clinicamente significativa, interrompeu o tratamento ou apresentou dados em falta até à semana 24 pós‑TCEH [diferença do tratamento: -23,5 (intervalo de confiança de 95 % -32,5 a -14,6), (p<0,0001)]. 
«A eficácia favoreceu de forma consistente Prevymis® nos subgrupos incluindo risco baixo e elevado de reativação do CMV, regimes de condicionamento e regimes imunossupressores concomitantes», salienta o press release.

O fármaco demonstrou ainda «benefícios significativos em comparação com o placebo no tempo para infeção ou doença por CMV clinicamente significativa até à semana 24 pós-TCEH (taxa cumulativa de 18,9 % vs. 44,3 %, teste de Log-rank estratificado, valor p bilateral <0,0001)». Não houve diferenças na incidência ou no tempo para engraftment entre Prevymis® e os grupos placebo.

«Esta decisão de financiamento vem alterar o paradigma da gestão do CMV nos doentes submetidos a transplante alogénico de medula óssea, do tratamento para a prevenção da reativação e da doença por CMV.
Com esta inovação, sentimo-nos orgulhosos por continuar a fazer a diferença na área das doenças infeciosas», sublinhou o diretor geral da MSD Portugal, Vitor Virgínia.

20tm02n
09 de Janeiro de 2020
2002Pub5f20tm02n

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 24.01.2020

Falta qualidade nos dados nos registos de saúde em Portugal

Documentação incompleta, indisponibilidade de materiais e recursos para auxiliar o processo de codif...

por Teresa Mendes | 24.01.2020

Poderemos vir a ser amortais?»

A presidente do Instituto de Medicina Molecular, Maria Carmo-Fonseca, é a oradora da próxima FMUL Ta...

por Teresa Mendes | 23.01.2020

Nomeados os membros da Direção da Competência em Ecografia Obstétrica Difer...

 Já estão nomeados todos os membros da Direção do Colégio da Competência em Ecografia Obstétrica Dif...

por Teresa Mendes | 23.01.2020

 Deixar de fumar um mês antes de uma cirurgia permite melhor recuperação

Os fumadores que deixem de fumar pelo menos um mês antes de uma cirurgia têm menores probabilidades...

23.01.2020

Coronavírus: Portugal activa os dispositivos de saúde pública de prevenção

Portugal já ativou os dispositivos de saúde pública de prevenção ao coronavírus proveniente da China...

por Teresa Mendes | 22.01.2020

 Sindicato denuncia falta de recursos humanos nas maternidades de Coimbra

 O Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) considerou esta terça-feira, após uma visita às mater...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.