«Votar em massa significa dar um grito de alerta»

por Teresa Mendes | foto de "DR" | 14.01.2020

Actual bastonário apela ao voto nas eleições para a Ordem dos Médicos
A poucos dias das eleições, o atual e único candidato a bastonário da Ordem dos Médicos apela ao voto em massa, considerando que «não podemos arriscar que uma eventual votação menos expressiva seja confundida ou manipulada com a ideia de que os médicos estão conformados com a situação atual que se vive na saúde, com a aceitação de que a nossa profissão pode continuar a não ser respeitada».

Numa nota enviada aos médicos, Miguel Guimarães, defende que «votar em massa significa dar um grito de alerta. Significa dizer aos políticos que os médicos estão preocupados com a saúde, com os doentes, com o SNS, com as condições de trabalho, com a segurança clínica, com a falta de respeito e desvalorização da profissão médica».

De acordo com o responsável, este momento é «determinante», pois, «ou votamos na defesa da qualidade da medicina, dos doentes e dos médicos. Votamos na nossa dignidade, no respeito e na valorização da nossa profissão. Votamos na nossa Ordem, a Ordem de todos os Médicos.

Ou não votamos, e deixamos o caminho aberto para que os políticos e, em especial, a ministra da Saúde, possam avançar sem receio com medidas que vão ferir a nossa condição de ‘Ser Médico’, humilhar a nossa vida, “escravizar” e “subjugar” o nosso trabalho, banalizar o nosso conhecimento e desonrar a nossa responsabilidade, com prejuízo claro para os doentes e para Portugal».

Numa nota enviada aos médicos, Miguel Guimarães, defende que «votar em massa significa dar um grito de alerta. Significa dizer aos políticos que os médicos estão preocupados com a saúde, com os doentes, com o SNS, com as condições de trabalho, com a segurança clínica, com a falta de respeito e desvalorização da profissão médica» 

Na opinião de Miguel Guimarães, esta é, por isso, a «oportunidade de dizer “não” à ministra da Saúde, “sim”  à Ordem dos Médicos; “Não” aos difamadores da medicina e da profissão médica, “sim” a todos aqueles que continuam a acreditar e ter em esperança em nós, médicos; “Não” aos políticos que fazem más políticas de saúde, “sim” aos doentes e aos médicos; “Não” à abstenção, “sim” ao voto».

«Acredito que juntos vamos ter uma Ordem ainda mais forte e preparar a Ordem dos Médicos para os desafios que temos pela frente. Vamos fazer com que os médicos e a medicina portuguesa sejam mais respeitados e valorizados», destaca o atual bastonário que será reeleito nas eleições da Ordem dos Médicos, que ser realizam no próximo dia 16 de janeiro.

20tm03e
14 de Janeiro de 2020
2003Pub3f20tm03e

Publicada originalmente em www.univadis.pt

E AINDA

por Teresa Mendes | 20.02.2020

Calendário de visitas ao património cultural do CHULC

O Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central (CHULC) divulgou o calendário das visitas guiada...

20.02.2020

Falta de médicos é «problema antigo», diz diretor clínico do HSM

O diretor clínico do Hospital de Santa Maria (HSM), Luís Pinheiro, disse esta quarta-feira aos deput...

por Teresa Mendes | 20.02.2020

Médicos defendem o fim da tortura e negligência médica a Julian Assange

Numa carta publicada no início desta semana na revista The Lancet, um grupo de médicos de 18 países...

por Teresa Mendes | 20.02.2020

 «Farmacovigilância – partilha de responsabilidade»

 No próximo dia 5 de março, o Infarmed promove uma sessão de Manhãs Informativas dedicada ao tema «F...

por Teresa Mendes | 19.02.2020

Prevalência da demência em Portugal mais do que duplicará até 2050

O número de pessoas com demência em Portugal em 2050 irá atingir os 3,82% da população, o que será m...

por Teresa Mendes | 19.02.2020

 Todos os países do mundo estão a falhar proteção da saúde das crianças

Não há nenhum país do mundo que esteja a proteger de forma adequada a saúde das crianças, o seu ambi...

por Teresa Mendes | 19.02.2020

Eutanásia: CNEVC contra os projetos de lei de do BE, PS, PEV e PAN

Na véspera do debate sobre a eutanásia no Parlamento, o Conselho Nacional de Ética para as Ciências...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

USF da Alta de Lisboa e Alto dos Moinhos concluídas dentro de ano e meio

A ministra da Saúde lançou esta segunda-feira a primeira pedra das novas unidades de saúde familiar...

por Teresa Mendes | 18.02.2020

Criada comissão para elaborar proposta para uma Lei da Saúde Pública

O Ministério da Saúde criou uma Comissão para elaborar uma proposta de Reforma da Saúde Pública e Su...

A reprodução total ou parcial deste site é proibida,
excepto se autorizada expressa e previamente pela Impremédica, Imprensa Médica, Lda.,
nos termos da legislação em vigor.